DEPUTADO DISTRITAL DANIEL DONIZETE

ENTREVISTA COM DANIEL DONIZETE, ELEITO PELO PRP/DF, COM MAIS DE 9 MIL VOTOS, PARA A CÂMARA DISTRITAL DO DISTRITO FEDERAL.
DONIZETE É BRASILIENSE, CASADO, DEFENSOR DOS VALORES FAMILIARES, PROFESSOR E ENTUSIASTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E CONHECIDO YOUTUBER.
CONCEDEU-NOS ESSA EXCLUSIVA ENTREVISTA, EXPONDO SEUS CONCEITOS E SUAS IDEIAS, PRINCIPALMENTE SOBRE SUA PAIXÃO PELA ÁREA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA.

QUAL A RAZÃO DE SUA VITORIOSA CANDIDATURA?
DEPUTADO DONIZETE: Minha entrada na política é resultado da minha indignação com a decadência moral a que nosso país foi submetido. O elevado nível de corrupção levou ao descrédito a classe política que, no meu entender, precisa ser oxigenada. Não obtive sucesso na minha primeira candidatura, mas não desisti porque acredito piamente na minha contribuição para a construção de um país melhor e mais justo, tanto na questão moral quanto no desenvolvimento de políticas públicas que beneficiem o cidadão. O resultado agora obtido revela que consegui convencer o eleitor de meus sinceros propósitos.
QUAL O PAPEL DA CÂMARA DISTRITAL NA SOLUÇÃO DESSES PROBLEMAS?
DEPUTADO DONIZETE: Os problemas, e as soluções, são um somatório de ações desencadeadas em todos os estados da federação. Se cada ente responsável fizer a sua parte, o Brasil consegue se livrar desse estigma da indecência e da imoralidade. Como sabemos, a Câmara Distrital fiscaliza as ações do governo e desenvolve políticas públicas que propiciam desenvolvimento e bem estar para os habitantes do Distrito Federal. De minha parte, vou trabalhar pela desburocratização do serviço público, pela valorização dos professores, pela utilização de tecnologia no ensino e na modernização das escolas, pela difusão do conhecimento, pelo cuidado com os animais e pelo desenvolvimento de Ciência e Tecnologia, entre outros relevantes temas, não me furtando de apoiar iniciativas de outros parlamentares que julgar de interesse público.
 NO TOCANTE A CIÊNCIA E TECNOLOGIA, QUAL SERIA SUA VISÃO?
DEPUTADO DONIZETE: O desenvolvimento científico e tecnológico não existe por si só. Ele é atividade meio, estratégico para o desenvolvimento sustentável e de transcendental importância para a economia, que precisa chegar no produto ou no serviço para atender as necessidades da população. Nesse ponto o problema se avoluma, porque o Brasil é um país de produção extremamente cara. A estratosférica carga tributária, cerca de 34% do PIB, a burocracia reinante e o elevado nível de corrupção encarecem sobremaneira a industrialização e a oferta de serviços. Um país com esse perfil não consegue atrair investimentos produtivos. Sem investimentos, cai a demanda por ciência e tecnologia, o reflexo no desenvolvimento científico é imediato e o círculo vicioso se forma.
E ESPECIFICAMENTE PARA A REGIÃO DO DISTRITO FEDERAL?
DEPUTADO DONIZETE: Nossa região, por ser a sede administrativa do país, ainda se ressente de uma consistente industrialização. Há que se desenvolver políticas para atração industrial, mas independentemente, os órgãos oficiais de ciência e tecnologia do GDF têm a oportunidade de contribuir significativamente para a qualificação de pessoal, para a produção técnica científica, para orientar as produções científicas na direção do desenvolvimento econômico e social do DF, para projetar o DF como produtor e irradiador de conhecimento científico e para criar ambiente propício ao desenvolvimento de pesquisa, ciência, tecnologia e inovação. O envolvimento das Universidades e Escolas Técnicas é prioritário para o sucesso do empreendimento. Não nos esqueçamos de que a produção tecnológica contribui para a atração de investimentos produtivos.
O DF já se sobressai na área da economia criativa com produções artísticas, música, teatro, cultura em geral. Mas pode evoluir muito no setor de moda, por exemplo. Na área industrial, pode-se fomentar a economia circular, que tem por base o ciclo da vida (nascer e morrer, em harmonia), transformando resíduos de processos produtivos em insumos de novos produtos, substituindo a obsoleta economia linear. Outra oportunidade é o incentivo no DF da indústria 4.0, uma nova revolução industrial, que conecta máquinas e sistemas, criando redes inteligentes que conduzem o processo produtivo e estabelecem novos paradigmas de performance e produtividade, essenciais na concorrência mercadológica.
 HÁ RECURSOS PARA ISSO TUDO?
DEPUTADO DONIZETE: Cumprindo-se o orçamento de 2% da arrecadação para a área de Ciência e Tecnologia, sem corrupção e com gestão competente, os recursos serão adequadamente aplicados, as atividades serão fomentadas e expressivos resultados serão gerados para a região. Há que se ter estreita articulação com a área de ciência e tecnologia do governo central para a convergência de esforços e complementação de projetos.
 HÁ BUROCRACIA TAMBÉM NESSA ÁREA?
DEPUTADO DONIZETE: A obtenção de patentes no Brasil é de uma lerdeza a toda prova e se constitui em obstáculo para o desenvolvimento de pesquisas no país. O Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI precisa ser reinventado para analisar com agilidade os pleitos que garantem a propriedade da invenção.
 O QUE MAIS O DEPUTADO GOSTARIA DE INFORMAR AO SEU ELEITOR?
DEPUTADO DONIZETE: Entrei na política movido pela vontade de contribuir para melhorar o bem estar da população e vou me dedicar a isso com todas as minhas forças. Vou me articular para a aprovação de projetos de interesse da população do DF e, pela minha formação, vou me empenhar com especial ênfase para o desenvolvimento de ciência e tecnologia na região.
O Distrito Federal elegeu Daniel Donizete Deputado Distrital pelo PRP


http://www.revistadiaria.com/