• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Deputado distrital Daniel Donizet agora é deputado do PSL de Bolsonaro

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019
Estou oficialmente desvinculado do PRP e a partir de hoje passo a compor o PSL. A troca de legenda está legalmente amparada pela emenda constitucional 97, que permite que parlamentares eleitos por partidos que não cumpram a Cláusula de Barreira, caso do PRP, troquem livremente de legenda sem perda do mandato.
A minha filiação ao PSL é justificada pela afinidade ideológica. 
Agradeço o espaço que o PRP me cedeu para a disputa eleitoral, mas a partir deste momento sigo com o PSL - o que não impede de nos mantermos juntos na construção de um projeto maior.                                                                             Fonte:facebook do deputado
Leia Mais....

Julio Cesar questiona secretário do Esporte do DF sobre realização da Corrida de Reis

Julio Cesar questiona secretário do Esporte do DF sobre realização da Corrida de Reis
Republicano afirma que a data da tradicional corrida de rua da capital federal ainda não foi definida
Brasília (DF) – O deputado federal eleito, Julio Cesar (PRB-DF), questionou o secretário do Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal, Leandro Cruz Fróes da Silva, sobre a realização da Corrida de Reis, a prova de rua mais tradicional da capital federal.
Segundo o republicano, a data da competição, que acontece tradicionalmente no mês de janeiro, ainda não foi definida pela pasta. “A Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer do DF ainda não veio a público informar qual dia será realizado o evento”, comentou Julio Cesar em um vídeo postado em seu Instagram.
Ele afirmou, ainda, que muitos corredores se preparam para a disputa desde o ano passado. “Não teremos a Corrida de Reis no mês de janeiro. Um verdadeiro absurdo que a Secretaria de Esportes está fazendo com todos os amantes de corrida de rua em Brasília”, comentou o parlamentar eleito ao citar que quando esteve à frente dos trabalhos da pasta entre os anos de 2012 e 2014, reuniu mais de 25 mil pessoas.                                                                                                                                                            https://www.prb10.org.br/
Leia Mais....

Governador Ibaneis lança SOS DF rural e Gama será uma das localidades beneficiadas

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019
O governador do Distrito Federal (GDF), Ibaneis Rocha, lançou, dia (22), na Comunidade Rural do PAD-DF/ Paranoá,  o programa SOS DF Rural, que faz parte do SOS DF, e consiste em ações emergenciais que vão desde reparo de estradas a serviços de roçagem,poda de árvores, coleta de lixo e entulhos,capinagem e revitalização de pontos de encontro comunitário. A administradora do Gama, Juliana Navarro, participou da solenidade. 
Segundo Ibaneis, o objetivo é melhorar a vida do produtor rural. “Eu sei das necessidades do homem e da mulher do campo e é, exatamente, por conhecê-las que eu quero integrar todas as equipes do DF para que possamos dar dignidade ao trabalhador  rural”, afirmou.
Gama
Desde o início deste mês, estradas rurais do Gama têm passado por ações de recuperação, tais como Avenida Buritis e a Rua Sucupira que ficam próximas à DF 475. Em breve, ações como essas serão intensificadas com a chegada do programa.
“O SOS Rural é uma operação inédita no DF porque  é uma ação emergencial integrada entre os agentes do governo para manutenção das estradas rurais, limpeza das áreas de transbordos e locais com entulho ou lixo acumulado, poda e retirada de galhos, manutenção de postos de saúde e escolas rurais, além dos escritórios da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER)”, explicou a administradora Juliana.
O Gama é uma região do DF que tem uma expressiva produção rural. Entre os produtos agrícolas estão: milho, hortaliças, café, morango, banana, entre outros. 
Integram o SOS Rural no Gama: a Administração, a  Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap), a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (SEAGRI), a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do DF  (EMATER), a Central de Abastecimento (CEASA) e o Serviço de Limpeza Urbana (SLU).                                                                                                        http://www.capitaldoentorno.com.br
Leia Mais....

Com investimento milionário, Havan vai inaugurar loja no Gama

Empresa deve investir cerca de R$ 150 milhões e criar mil empregos diretos. Em princípio estão previstas as construções de duas lojas em Ceilândia, uma em Taguatinga, Sobradinho e Gama                                                                                                                 
A loja de departamentos Havan vai abrir mais cinco lojas no Distrito Federal, com a previsão de criar mil empregos diretos, num investimento de cerca de R$ 150 milhões. A notícia foi dada ao governador Ibaneis Rocha nesta terça-feira, 29, durante audiência com o presidente da empresa, Luciano Hang, no Palácio do Buriti.                                                                                                       O governador disse que o GDF dará todo apoio para facilitar o empreendimento, prometendo destravar quaisquer problemas burocráticos que possam se apresentar. “Protocolados os projetos em 15 dias vocês terão o alvará de construção e todas as licenças necessárias para o funcionamento dos empreendimentos”, disse o governador.

Ibaneis Rocha reafirmou que o DF está de braços abertos para quem quiser investir Foto: Renato Alves/GDF​​​​​​
Em princípio estão previstas as construções de duas lojas em Ceilândia, uma em Taguatinga, Sobradinho e Gama. Os terrenos ainda estão sendo escolhidos. Hang afirmou que a empresa que investir R$ 1,5 bilhão em novas lojas em todo o Brasil, elogiando a postura do Governo do Distrito Federal de apoiar os empresários na geração de emprego e renda.
“A loja que inauguramos recentemente em Brasília é um sucesso. Durante as primeiras semanas tivemos dificuldade em manter os estoques, o que mostra que estamos certos ao investir no Distrito Federal e no Brasil”, afirmou Luciano Hang. O governador Ibaneis Rocha voltou a afirmar que o Distrito Federal está de braços abertos para quem quiser investir e que apoiará os empreendimentos para que sejam criados empregos.
“O DF vai voltar a crescer. Estamos destravando a economia, incentivando os empreendedores, tirando o DF do imobilismo A Havan é uma das empresas que já percebeu esse novo momento; outras virão em breve”, afirmou o governador. Participaram da audiência o vice-governador Paco Brito, o secretário de Fazenda, André Clemente, e o empresário José Humberto Pires.                                                http://www.capitaldoentorno.com.br
Leia Mais....

GDF ANUNCIA CONTRATAÇÃO DE 561 APROVADOS EM CONCURSO DA SAÚDE


O secretário de saúde, Osnei Okumoto, anunciou nesta terça-feira (29/1) uma série de benefícios para a Saúde do Distrito Federal. O investimento de R$ 300 milhões destinado a servidores e a contratação de 561 aprovados em concurso público estão entre as medidas.
As ações que vão contemplar os servidores serão detalhadas em fevereiro. Okumoto adiantou o acordo de reivindicações da categoria, como a ampliação da carga horária de servidores de 20 para 40 horas, e o pagamento de licenças-prêmio, convertidas em pecúnia, no valor de R$ 140 milhões, em até 36 vezes. A ampliação do banco de horas, de 30 para 180 dias, também será garantida aos profissionais da área.
Ao todo, 561 servidores aprovados no certame de 2014 da Secretaria de Saúde serão convocados. A lista contém 296 técnicos de enfermagem, 19 enfermeiros, 162 médicos, 48 auxiliares e 36 especialistas que serão distribuídos em unidades da rede pública.
Osnei Okumoto também comunicou a reorganização das Portarias nº 77 e nº 78 da Secretaria de Saúde. A primeira estabelece a política de Atenção Primária à Saúde do DF, enquanto a segunda disciplina o processo de conversão da Atenção Primária à Saúde do DF ao modelo da Estratégia Saúde da Família.
Fonte: Agência Brasília
Leia Mais....

Experiência e 03 mandatos sem passar por nenhum constrangimento de ordem política e legal

terça-feira, 29 de janeiro de 2019
 A palavra de Deus  diz que toda autoridade é dada por Deus e que nós temos que orar pelas nossas autoridades. Deus abençoe o senhor deputado Agaciel Maia , o DF precisa da sua inteligência política para que possamos viver dias melhores. Sabemos que o senhor irá plantar bons frutos e que estes serão colhidos pela população do Distrito Federal. "A luta continua na Câmara Legislativa pelos próximos 04 anos e estarei firme defendendo os interesses do nosso povo", disse o deputado.

                 



Pr. Ronne do Gama
Leia Mais....

Ibaneis E Rafael Prudente Trabalham Na Criação De Três Novas Cidades Do DF

domingo, 27 de janeiro de 2019

Depois de ver aprovado as propostas para melhorar a saúde do povo do DF, o governador Ibaneis Rocha não terá nenhuma dificuldade na Câmara Legislativa para aprovar no início da abertura dos trabalhos, que ocorre no dia 5 de fevereiro, a criação de três novas administrações Regionais. São elas: Arniqueiras, Sol Nascente/ Por do Sol e Arapoanga. As três terão vida própria no governo do emedebista. O Presidente da CLDF, Rafael Prudente, acredita que a proposta do Executivo será aprovada sem voto contrário

Por Toni Duarte//RADAR-DF
Uma das dezenas de promessas feitas pelo governador Ibaneis Rocha durante a campanha, será cumprida dentro dos primeiros dias de funcionamento da Câmara Legislativa do Distrito Federal que ocorre daqui a exatos 9 dias.
A proposta de criação das três novas cidades: Arniqueiras, Sol Nascente, que vai englobar o Pôr do Sol e Arapoanga, que será desmembrada de Planaltina, é o sonho de consumo, há décadas, das mais de 300 mil pessoas que moram nas três regiões.
Nenhum dos 24 deputados distritais, terá a coragem de votar contra a proposta. Seja ele de situação, como João Cardoso (Avante), que é da base do governo, mas que votou contra a proposta do Executivo, para melhorar a saúde da população, ou o mais raivoso opositor como Chico Vigilante (PT), que diz não ter medo de cara feia.
Ser contra é dar um tiro no pé e no próprio mandato.
O presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), em uma entrevista no programa Conectando o Poder, do jornalista Sandro Gianelli, na Rádio Metrópoles, neste sábado (26), defende a criação das três novas cidades por ser importante para melhorar a qualidade de de vida de suas populações.
O deputado Rafael Prudente tem razão. Só no Sol Nascente e Pôr do Sol, existem mais de 120 mil moradores que habitam onde falta tudo.
“Falta asfalto em 80% das ruas da cidade e a maioria absoluta dos moradores não possuem energia elétrica de boa qualidade. O esgoto desce a céu aberto. Falta postos de saúde, Corpo de Bombeiros, Policiamento e escolas”, aponta o líder da periferia Goudim Carneiro.
Ele foi escolhido pelo governador Ibaneis Rocha como administrador regional da cidade. Após a campanha eleitoral, o  emedebista, já governador eleito,  entregou uma caneta “Montblanc” para Goudim Carneiro, como ato do seu compromisso de criar a cidade do Sol Nascente.
A caneta de luxo, segundo informou Goudim ao Radar, foi emoldurada em um quadro como símbolo de um marco da região administrativa que dará aos seus mais de 120 mil moradores uma identidade própria, dignidade e autonomia para o seu desenvolvimento.
A Arniqueira que já tem uma vida consolidada com uma infraestrutura bancada pelos seus moradores, por ser uma região de condomínios, no entanto falta a identidade própria como região administrativa independente de Águas Claras.
Arniqueira e Areal, juntos somam mais de 80 mil moradores que ficam desassistidos da atual administração de Águas Claras.
A deputada Telma Rufino (PROS), moradora de Arniqueira, e principal motor político para o processo de regularização fundiária do setor, disse ao Radar que a criação da Administração regional da cidade tem sido uma luta de quase duas décadas.
Ela afirmou que a iniciativa do governador Ibaneis Rocha, de fazer da Arniqueira uma região administrativa própria, vai ajudar a impulsionar o desenvolvimento da futura cidade que engloba o Areal.
A luta de Telma Rufino por uma administração própria da Arniqueira se arrasta há 17 anos quando o “primo feio” de Águas Claras se tornou setor habitacional, criado pela Lei Complementar n° 511/2002.
Ela disse que a Arniqueira ganhou a sua poligonal e parâmetros urbanísticos modificados pelo Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal – PDOT, aprovado pela Lei Complementar nº 803/2009.
O Radar apurou ainda que em 2012, foi atualizado pela Lei Complementar nº 854. O PDOT criou, em sua Estratégia de Regularização Fundiária, a Área de Regularização de Interesse Específico Arniqueira – ARINE.
A maior parte do Setor Habitacional  está localizada na Região Administrativa de Taguatinga, com uma pequena parte na Região Administrativa do Núcleo Bandeirante e de Águas Claras.
Por se encontrar espremida no meio de três regiões administrativas, os mais de 80 mil moradores da Arniqueiras são ignorados a décadas pelas referidas administrações.
O Arapoanga, em Planaltina, tem mais 75 mil moradores, o que torna o setor do tamanho de uma cidade que chegará a médio porte nos próximos três anos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os estudos urbanísticos e ambientais da região já estão prontos.
O deputado distrital Agaciel Maia (PR) é quem mais luta para ver o setor se transformar em região administrativa pujante  e acredita que o governador Ibaneis Rocha irá viabilizar a autonomia da cidade.
Na última eleição Agaciel foi eleito com a maioria dos votos de Planaltina e Arapoanga e conhece as reais necessidades da população e está conectado com as lideranças da duas regiões.
“Ter vida própria para melhorar a qualidade de vida de todos os moradores é um sonho permanente dos que nasceram e vivem em Arapoanga”, diz por sua vez o jornalista Cláudio Ulhoa (foto), uma das grandes lideranças da região, cotado pela comunidade para ser o seu primeiro administrador.
“Vi o  Arapoanga crescer e sei das dificuldades que temos para alavancar o desenvolvimento do nosso setor, por fazer parte de Planaltina que prioriza a área urbana, esquecendo os mais de 70 mil moradores que estão na ponta”, reage o líder comunitário e jornalista blogueiro.
Pelo andar da carruagem, desta vez, o povo vencerá sem briga alguma ou discursos inflamados na Câmara Legislativa do Distrito Federal. O Radar está ligado!
Leia Mais....

Dep Agaciel Maia irá abrir mão da verba indenizatória nos próximos 4 anos.

Por Cláudio Ulhoa
Os deputados distritais Agaciel Maia (PR), Eduardo Pedrosa (PTC) e Leandro Grass(Rede) irão abrir mão do uso da verba indenizatória em 2019. Com a decisão, os três passam a integrar a bancada dos apoiadores do “Câmara Mais Barata”, projeto de iniciativa popular que visa reduzir os custos da Casa.
Cada distrital tem direito a R$ 15.193,35 por mês para ressarcimento de gastos do gabinete, como locação de imóveis e de veículos, material de expediente, combustível e contratação de consultoria. Até 2018, essa importância ultrapassava os R$ 22 mil, mas a pressão social fez com que os distritais reduzissem em 40% o valor do benefício.
O deputado Agaciel Maia foi o pioneiro em não usar a verba indenizatória, no período dos anos de 2015 a 2018 Maia economizou impressionantes R$ 1.007.610,10 de Reais. Ao todo o parlamentar economizou mais de R$ 1.129.156,90.
Veja a publicação que Maia fez em sua página no Facebook:
O que é verba indenizatória?
A verba indenizatória é usada para ressarcir despesas com locação de imóveis e de veículos, material de expediente, combustível e contratação de consultoria, entre outros. A fim de assegurar a transparência, pelo Ato da Mesa Diretora nº 19/2017, passaram a ser publicadas também informações contidas nas notas fiscais e nos recibos exigidos pela Casa como comprovantes das despesas, além de quadro demonstrativo mensal com as despesas realizadas por cada gabinete parlamentar.
Que todos os parlamentares tomem a iniciativa do deputado Agaciel Maia, e fiquem sem usar essa verba nos próximos quatro anos.
Fonte Blog do Ulhoa
Leia Mais....

A saída do deputado federal Jean Wyllys do Brasil deixou Bia Kicis Nervosa. Veja o motivo.


Por Cláudio Ulhoa
A deputada Bia Kicis ficou bastante irritada com a notícia, pois há anos ela vem tentando receber o valor de R$50 mil reais de Jean.  Em 2005 Jean Wyllys participou do Reality show “Big Brother Brasil”, e levou para casa a quantia de 1 milhão de reais do programa.
Bia Kicis foi informada da “FUGA” de Jean e  fez um vídeo indignada onde cobra o deputado. Esse valor de R$50 mil reais se deve a uma condenação em um processo judicial indenizatório por danos morais.
Como de costume o deputado “MAL EDUCADO” cuspiu  no rosto de Bia,  chamando-a de criminosa e outros xingamentos que não valem citar aqui.  A deputada garante que vai tomar providências para evitar o calote.
Veja o Vídeo:
Fonte Blog do Ulhoa
Leia Mais....

PARTIDO NOVO DESMENTE CRÍTICA E REITERA APOIO A DEPUTADO DISTRITAL JULIA LUCY

sábado, 26 de janeiro de 2019
A Deputada Júlia Lucy recebeu todo o apoio de conselheiros do Partido NOVO e contou a colaboração de especialistas do núcleo de estudos do partido para realizar sua análise técnica do projeto de lei.
Chamamos atenção que a imagem do artigo publicado na notícia não faz parte do Estatuto do NOVO e sim do Termo de Compromisso de Atuação Legislativa, que também foi publicada em versão desatualizada.
Ressaltamos que o projeto de lei em questão, devido a sua redação e a forma como foi apresentado a Câmara Legislativa do DF, não foi acompanhando de dados que apontassem para simplificação da burocracia e diminuição de carga tributária, conforme os requisitos dispostos no art.7º, inciso II, do Termo de Compromisso de Atuação Legislativa.
Solicitamos, portanto, diante do exposto acima, retratação em forma de nota ou errata neste site.

Edvard Corrêa
Presidente do Diretório do Partido NOVO no Distrito Federal                           http://www.bombeirosdf.com.br/
Leia Mais....

JÚLIA LUCY CRITICADA NO PRÓPRIO PARTIDO

Por Radio Corredor
A votação do projeto de lei que transformou o Instituto Hospital de Base em Organização Hospitalar causou ressaca no meio político.
E como toda ressaca, os sintomas ruins aparecem. No partido Novo, a questão “incômoda” envolve a deputada distrital da legenda, Júlia Lucy.
Membros da sigla estão criticando fortemente a parlamentar porque ela votou contra a proposta. Seu voto, inclusive, era visto como importante pelo governo de Ibaneis Rocha.
No entendimento dos correligionários, a deputada foi contra o estatuto do próprio partido, que defende:
II – Instituir, propor e apoiar projetos de lei e outros tipos de medidas que tenham por objetivo a extinção, diminuição ou simplificação da burocracia, da ingerência do poder público sobre o privado, e a diminuição da carga tributária;
Leia Mais....

PMDF lança operação “Opus Plenum”

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

A Polícia Militar do Distrito Federal, por meio do Comando de Policiamento Regional Metropolitano (CPRM), lança a Operação “Opus Plenum” (Ocupação Total) que objetiva reforçar o policiamento e promover o aumento da sensação de segurança nas Regiões Administrativas do Sudoeste, Cruzeiro, Área Central Norte e Sul de Brasília, Asa Norte e Sul e Setor de Indústrias Gráficas.
A comandante-geral, coronel Sheyla, liberou o policiamento no Museu da República, às 15h de hoje (25), com término previsto para  23h. O Secretário de Segurança Pública, Anderson Torres esteve presente juntamente com o  subcomandante, coronel Sérgio Luiz e o Chefe do Departamento Operacional, coronel Carlos André. 
Cerca de 880 policiais militares trabalharão ostensivamente e preventivamente em duplas de policiais a pé, pautadas na presença de maior efetivo em áreas comerciais, residenciais e de grande circulação de pessoas. A expectativa do Comando é coibir a criminalidade, prender pessoas em atos ilícitos e apreender produtos de ações ilícitas.

PMDF
Leia Mais....

Projeto prevê obrigatoriedade de registro de nascidos com síndrome de Down

Tramita na Câmara legislativa projeto de lei (PL nº 1923/2014), de autoria do Deputado Distrital, Robério Negreiros (PSD/DF), que dispõe sobre a obrigatoriedade do registro por parte dos hospitais (públicos e privados), maternidades, hospitais filantrópicos do Distrito Federal, dos bebês nascido com síndrome de Down e sua imediata comunicação às instituições, entidades e associações que desenvolvem atividades com pessoas deficientes. A proposta tem como finalidade impedir o diagnóstico tardio da síndrome de Down e garantir o acompanhamento precoce e as ações para estímulo e desenvolvimento da pessoa com síndrome.
Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a presença de pessoas com síndrome de Down no Brasil é frequente, considerando que a cada 600 recém-nascidos, um apresenta a síndrome. Atualmente, estima-se que exista no país aproximadamente 170 mil pessoas com síndrome de Down, incluindo crianças e adultos, sendo que a cada ano cerca de oito mil nascem com a síndrome.
De acordo com o parlamentar, Robério Negreiros, o projeto de lei tem como propósito, afastar o estímulo tardio, garantir as influências positivas no desempenho e no potencial dos primeiros anos de vida das crianças, para que exista o desenvolvimento motor e intelectual mais rápido. “Estudos demonstram que a estimulação precoce das crianças com síndrome de Down ajuda efetivamente no desenvolvimento, sendo fator decisivo para sua evolução futura”, lembrou.
Robério Negreiros ressaltou ainda que estimular e iniciar o processo de conscientização da sociedade e dos órgãos públicos com a causa, irão romper com paradigmas errôneos em relação à síndrome de Down e garantir as condições reais de socialização, inclusão, inserção social e geração de oportunidades, contribuindo para o desenvolvimento da autonomia, qualidade de vida e integração efetiva ao contexto social do Distrito Federal.                                                                           http://www.capitaldoentorno.com.br
Leia Mais....

Câmara Aprova Projeto Que Amplia Modelo Do Instituto Hospital De Base

Com 14 votos favoráveis e oito contrários, formato de gestão será estendido para as seis UPAs e Hospital Regional de Santa Maria
AGÊNCIA BRASÍLIA
Objetivo é de dar assistência de melhor qualidade à população/Foto: Lúcio Bernardo/GDF
O Projeto de Lei 1/2019 que estende o modelo do Instituto Hospital de Base para outras unidades da Secretaria de Saúde do Distrito Federal foi aprovado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) nesta quinta-feira (24). O placar foi de 14 votos favoráveis e oito contrários, nos dois turnos, para estender o formato de gestão para as seis unidades de pronto atendimento e o Hospital Regional de Santa Maria. O resultado, para o Governo do Distrito Federal, representa um voto de confiança aos avanços que serão realizados na Saúde com o objetivo de dar assistência de melhor qualidade à população.
Inicialmente, o texto previa a inclusão de todos os hospitais. Porém, foi realizada uma negociação pela base aliada do governo da Câmara e houve uma redução da expansão do modelo de gestão. Com a mudança, o Instituto Hospital de Base (IHB) passa a se chamar Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (IGESDF).
“Por determinação do governador Ibaneis, nós retiramos, em comum acordo com os deputados, esses dois projetos, e fizemos uma alteração de mandar os nomes do conselho para a sabatina da Câmara. Apesar de a Câmara poder requisitar os relatórios de gastos anuais, tomaremos a liberdade de enviá-los. Quem sai ganhando é a população do Distrito Federal”, frisou o vice-governador do DF, Paco Britto, que acompanhou a votação.
O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, esclareceu que todo o trabalho em curso na pasta não visa a privatização da saúde pública no Distrito Federal. “Haverá manutenção do órgão público, de tal forma que possamos contratar a maioria dos profissionais que precisamos por concurso público”, ressaltou.
“Haverá manutenção do órgão público, de tal forma que possamos contratar a maioria dos profissionais que precisamos por concurso público”Osnei Okumoto, secretário de Saúde
Durante sessão, que se iniciou às 15h17 e passou das 22h, o presidente da CLDF, Rafael Prudente, reafirmou por diversas vezes no plenário a convicção de que o modelo impactará positivamente na vida da população. “O Hospital de Base está funcionando muito melhor, mas o texto também recebeu limitações. Existe uma mudança importante trazida por uma emenda que determina que, assim como nas grandes empresas do DF, como no BRB, os dirigentes sejam submetidos à sabatina da Câmara para garantir a maior transparência possível”, argumentou. O parlamentar também ressaltou que o projeto garantirá todos os direitos dos servidores públicos da pasta.
“Estou votando a favor da população. Uma secretaria que possui um orçamento com R$ 8 bilhões, e 35 mil servidores, que deixa a população morrer nas portas dos hospitais, está falida. Não podemos enxugar gelo”, defendeu o deputado Hermeto, que votou favorável ao projeto do Executivo.
Votação
Foram favoráveis os parlamentas Cláudio Abrantes (PDT), Daniel Donizet (PRP), Eduardo Pedrosa (PTC), Hermeto (PHS), Iolando Almeida (PSC), Jaqueline Silva (PTB), José Gomes (PSB), Martins Machado (PRB), Rafael Prudente (MDB), Reginaldo Sardinha (Avante), Robério Negreiros (PSD), Roosevelt Vilela (PSB), Telma Rufino (Pros), Valdelino Barcelos (PP).
Foram contrários os votos dos deputados: Arlete Sampaio (PT), Chico Vigilante (PT), Fábio Felix (PSol), João Cardoso (Avante), Jorge Vianna (Podemos), Júlia Lucy (Novo), Leandro Grass (Rede) e Prof. Reginaldo Veras (PDT). Estavam ausentes os deputados Agaciel Maia (PR) e Rodrigo Delmasso (PRB).
Tramitação
Antes de ir à plenário, o projeto recebeu aprovação unânime nas comissões de Educação, Saúde e Cultura (CESC), Comissão de Assuntos Sociais (CAS), Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) e pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), com 14 votos favoráveis e 8 contrários em todos os resultados. Mais de 40 emendas foram apresentadas e votadas. O texto final será publicado nos próximos dias.
“Esse projeto é o que já foi discutido no ano de 2017, quando foi instituído o Instituto Hospital de Base. Esse projeto que foi apreciado hoje foi apenas uma ampliação do Instituto Hospital de Base para as UPAS e para o Hospital de Santa Maria. É natural o debate, e foi um debate de alto nível”, destacou o presidente da CLDF, Rafael Prudente.
Entenda o modelo IHB
O Instituto Hospital de Base nunca deixou de ser da rede da Secretaria de Saúde, bem como não deixou de ser 100% público. O IHB tem uma gestão mais moderna, baseada em resultados, com metas e indicadores de qualidade e com regras que permitem manter o abastecimento, a manutenção de equipamentos, além de repor rapidamente a força de trabalho necessária ao funcionamento do maior hospital do DF.
Desde que foi implantado, o IHB dobrou o número de salas cirúrgicas, triplicou o número de cirurgias, reabriu 107 leitos de internação e elevou o nível de satisfação do usuário de 30% para 70%.
Segundo dados do último relatório de gestão apresentado pelo IHB, nos dez primeiros meses de 2018, foram feitas 3.984 cirurgias eletivas. O número é 13% maior que o registrado em 2017.
Os atendimentos de urgência na atenção especializada cresceram de 159.036 para 199.011, no mesmo intervalo.
As internações também subiram de 11.853 para 14.537. E as consultas na atenção especializada (ambulatórios) passaram de 22.624 para 31.381. A regularização no abastecimento dos materiais ortopédicos foi atingida e houve um recorde de cirurgias ortopédicas em julho de 2018, com 136 procedimentos.
Houve a aquisição de um mamógrafo digital com capacidade para 50 exames por dia, reabertura de oito salas de cirurgias, totalizando 12 em operação, recredenciamento para transplantes renais e economia de 11% nas aquisições de medicamentos oncológicos, de 12,6% nas compras de quimioterápicos de uso hospitalar e de 49% nas de órtese, prótese e materiais especiais para trauma e ortopedia
Leia Mais....

Por 14 x 8, CLDF aprova projeto que amplia modelo do Instituto Hospital de Base

Formato de gestão será estendido para as seis UPAs e Hospital Regional de Santa Maria
Por Redação 
Projeto de Lei 1/2019 que estende o modelo do Instituto Hospital de Base para outras unidades da Secretaria de Saúde do Distrito Federal foi aprovado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) nesta quinta-feira (24). O placar foi de 14 votos favoráveis e oito contrários, nos dois turnos, para estender o formato de gestão para as seis unidades de pronto atendimento e o Hospital Regional de Santa Maria. O resultado, para o Governo do Distrito Federal, representa um voto de confiança aos avanços que serão realizados na Saúde com o objetivo de dar assistência de melhor qualidade à população.
Inicialmente, o texto previa a inclusão de todos os hospitais. Porém, foi realizada uma negociação pela base aliada do governo da Câmara e houve uma redução da expansão do modelo de gestão. Com a mudança, o Instituto Hospital de Base (IHB) passa a se chamar Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (IGESDF).

“Por determinação do governador Ibaneis, nós retiramos, em comum acordo com os deputados, esses dois projetos, e fizemos uma alteração de mandar os nomes do conselho para a sabatina da Câmara. Apesar de a Câmara poder requisitar os relatórios de gastos anuais, tomaremos a liberdade de enviá-los. Quem sai ganhando é a população do Distrito Federal”, frisou o vice-governador do DF, Paco Britto, que acompanhou a votação.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, esclareceu que todo o trabalho em curso na pasta não visa a privatização da saúde pública no Distrito Federal. “Haverá manutenção do órgão público, de tal forma que possamos contratar a maioria dos profissionais que precisamos por concurso público”, ressaltou.

Durante sessão, que se iniciou às 15h17 e passou das 22h, o presidente da CLDF, Rafael Prudente, reafirmou por diversas vezes no plenário a convicção de que o modelo impactará positivamente na vida da população. “O Hospital de Base está funcionando muito melhor, mas o texto também recebeu limitações. Existe uma mudança importante trazida por uma emenda que determina que, assim como nas grandes empresas do DF, como no BRB, os dirigentes sejam submetidos à sabatina da Câmara para garantir a maior transparência possível”, argumentou. O parlamentar também ressaltou que o projeto garantirá todos os direitos dos servidores públicos da pasta.

“Estou votando a favor da população. Uma secretaria que possui um orçamento com R$ 8 bilhões, e 35 mil servidores, que deixa a população morrer nas portas dos hospitais, está falida. Não podemos enxugar gelo”, defendeu o deputado Hermeto, que votou favorável ao projeto do Executivo.

Votação

Foram favoráveis os parlamentas Cláudio Abrantes (PDT), Daniel Donizet (PRP), Eduardo Pedrosa (PTC), Hermeto (PHS), Iolando Almeida (PSC), Jaqueline Silva (PTB), José Gomes (PSB), Martins Machado (PRB), Rafael Prudente (MDB), Reginaldo Sardinha (Avante), Robério Negreiros (PSD), Roosevelt Vilela (PSB), Telma Rufino (Pros), Valdelino Barcelos (PP).

Foram contrários os votos dos deputados: Arlete Sampaio (PT), Chico Vigilante (PT), Fábio Felix (PSol), João Cardoso (Avante), Jorge Vianna (Podemos), Júlia Lucy (Novo), Leandro Grass (Rede) e Prof. Reginaldo Veras (PDT). Estavam ausentes os deputados Agaciel Maia (PR) e Rodrigo Delmasso (PRB).

Tramitação

Antes de ir à plenário, o projeto recebeu aprovação unânime nas comissões de Educação, Saúde e Cultura (CESC), Comissão de Assuntos Sociais (CAS), Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) e pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), com 14 votos favoráveis e 8 contrários em todos os resultados. Mais de 40 emendas foram apresentadas e votadas. O texto final será publicado nos próximos dias.

“Esse projeto é o que já foi discutido no ano de 2017, quando foi instituído o Instituto Hospital de Base. Esse projeto que foi apreciado hoje foi apenas uma ampliação do Instituto Hospital de Base para as UPAS e para o Hospital de Santa Maria. É natural o debate, e foi um debate de alto nível”, destacou o presidente da CLDF, Rafael Prudente.

Entenda o modelo IHB

O Instituto Hospital de Base nunca deixou de ser da rede da Secretaria de Saúde, bem como não deixou de ser 100% público. O IHB tem uma gestão mais moderna, baseada em resultados, com metas e indicadores de qualidade e com regras que permitem manter o abastecimento, a manutenção de equipamentos, além de repor rapidamente a força de trabalho necessária ao funcionamento do maior hospital do DF.

Desde que foi implantado, o IHB dobrou o número de salas cirúrgicas, triplicou o número de cirurgias, reabriu 107 leitos de internação e elevou o nível de satisfação do usuário de 30% para 70%.

Segundo dados do último relatório de gestão apresentado pelo IHB, nos dez primeiros meses de 2018, foram feitas 3.984 cirurgias eletivas. O número é 13% maior que o registrado em 2017.

Os atendimentos de urgência na atenção especializada cresceram de 159.036 para 199.011, no mesmo intervalo.

As internações também subiram de 11.853 para 14.537. E as consultas na atenção especializada (ambulatórios) passaram de 22.624 para 31.381. A regularização no abastecimento dos materiais ortopédicos foi atingida e houve um recorde de cirurgias ortopédicas em julho de 2018, com 136 procedimentos.

Houve a aquisição de um mamógrafo digital com capacidade para 50 exames por dia, reabertura de oito salas de cirurgias, totalizando 12 em operação, recredenciamento para transplantes renais e economia de 11% nas aquisições de medicamentos oncológicos, de 12,6% nas compras de quimioterápicos de uso hospitalar e de 49% nas de órtese, prótese e materiais especiais para trauma e ortopedia.                                  http://agendacapital.com.br/
Leia Mais....

Convocação extraordinária da CLDF deve deixar feridas na base aliada de Ibaneis

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019
CAIO GOMEZ


Publicado em CB.Poder
O governo aposta em uma maioria folgada para aprovar os dois projetos incluídos na convocação extraordinária da Câmara Legislativa, marcada para hoje à tarde. Mas a votação da proposta que amplia o modelo do Instituto Hospital de Base e do projeto que cria gratificações para policiais deve deixar feridas na base aliada de Ibaneis Rocha. O chefe do Executivo perdeu o voto de pelo menos três governistas: o distrital Jorge Vianna (Podemos) se posicionou contra a proposta da saúde e os deputados Rodrigo Delmasso (PRB) e Agaciel Maia (PR) avisaram que não estarão presentes na sessão extra. Ibaneis espera o desfecho da votação, seu primeiro teste de lealdade na Câmara Legislativa, para retomar nomeações e eventualmente até exonerar apadrinhados já escolhidos.

Fogo amigo

O voto contrário de Jorge Vianna era esperado pelo governo: ele foi eleito com o apoio dos servidores da saúde, críticos ao modelo do Instituto Hospital de Base, e integrava, até a eleição, o Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do DF. O que surpreendeu os aliados de Ibaneis foi a virulência com que Vianna criticou a proposta de Ibaneis. “Isso é uma vergonha. Que espécie de gestão é essa?”, comentou o distrital, durante discurso em um evento com servidores. “Estamos dando um cheque em branco e assinado ao governo. Ele pode comprar a hora que quer, de quem quer, até contratar no vagas.com”, criticou o parlamentar. E acrescentou: “Vão ter que me engolir. Eu sou o presidente da Comissão de Saúde”.

Aposta nos indecisos

Os aliados de Ibaneis Rocha apostam em pelo menos 15 votos favoráveis, “se não houver traições”, como frisou um distrital governista. O grupo do emedebista acredita na chance de contar ainda com o voto da deputada distrital Júlia Lucy, do Novo, que até ontem estava indecisa. “A proposta do Instituto Hospital de Base é alinhada ao discurso do partido Novo de estado mínimo”, diz um aliado de Ibaneis.

Sem arriscar

Os projetos que reduzem a alíquota de impostos e que autorizam o governo a negociar débitos de R$ 32 bilhões já foram enviados à Câmara Legislativa, mas o debate ficou para fevereiro. Como os temas envolvem renúncia fiscal, há exigência de quórum qualificado, ou seja, o governo precisaria de ao menos 16 votos.

Nomeações privilegiadas

O governador Ibaneis Rocha baixou circular suspendendo nomeações por um prazo de 15 dias, com exceção de casos urgentes. Ontem, entretanto, ele nomeou 32 novos servidores da recém-criada Secretaria de Atendimento Comunitário, comandada pelo advogado Severino Cajazeiras. Entre os novatos estava Joaquim Roriz Neto, que será subsecretário de Ações Comunitárias.

Pacotão deve mirar em Bolsonaro

O tradicionalíssimo bloco de carnaval Pacotão, conhecido pelas marchinhas políticas, deve poupar Ibaneis Rocha em seu primeiro ano de gestão. A moleza para o governador tem motivos: quase todos os autores de marchinhas preferem mirar artilharia em Jair Bolsonaro e nas denúncias envolvendo os familiares do presidente. Mais de 30 músicas já foram cadastradas para concorrer na escolha da marchinha oficial de 2019 e, como é tradição, as críticas ao presidente são abundantes em todas elas. Em 16 de fevereiro, no Conic, a campeã será escolhida.

Gim Argello tenta deixar a cadeia

O ex-senador Gim Argello apresentou à Justiça mais um pedido para deixar a cadeia. No documento, entregue esta semana, a defesa pede que a dívida de R$ 7,3 milhões, exigida para a liberdade condicional, seja dividida em prestações de R$ 10 mil. Isso significaria parcelar o débito em mais de 61 anos. Se aprovado o plano de pagamento, Gim Argello, só quitaria o valor em 2080, aos 117 anos. O ex-parlamentar, condenado por envolvimento na Lava-Jato, já cumpriu mais de um terço da pena. Agora, tenta negociar o pagamento da cobrança, última etapa para sair da prisão, em Curitiba.

De capa nova

O ex-deputado distrital Chico Leite, que voltou ao Ministério Público do DF depois da derrota nas urnas, terá sua estreia pública como procurador hoje à tarde. Ele recebeu a capa que usará na sessão da 2ª Turma Criminal das mãos do presidente da Associação do Ministério Público do DF, promotor Elísio Teixeira Lima Neto.
Leia Mais....
 
BLOG DO PASTOR RONNE © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot