• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Bem Informado Ninguém é Enganado

Bem Informado Ninguém é Enganado

Sinpol acusa o GDF de manipular dados da criminalidade

sábado, 16 de setembro de 2017
Foto: Imagem Ilustrativa
O Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol) divulgou, nesta sexta-feira (15), uma nota em que acusa o GDF de manipular dados relacionados à criminalidade na capital, na tentativa de “tentar vender à sociedade e aos meios de comunicação a falsa impressão de segurança nas ruas da capital”. No texto, o sindicato diz ter realizado um levamento que confirma que os registros de crimes graves continuam aumentando, diferentemente do que vem sendo apresentado pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do DF (SSP).
“O GDF divulga dados manipulados para perecerem positivos e assim tentar justificar a falta de investimos na Polícia Civil e na Segurança Pública como todo e, assim, continuar desviando recursos do Fundo Constitucional para outras áreas”, denuncia Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sinpol.O sindicato divulgou três tabelas comparativas de diversas naturezas criminais e que tiveram aumento no registro. O levantamento, segundo o Sinpol, foi realizado a partir de dados oficiais da Polícia Civil do DF (PCDF) e Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social do DF (SSP).
Janeiro a agosto de 2016 e 2017
De acordo com os dados apresentados, em um comparativo entre o período de janeiro a agosto de 2016 e 2017, crimes graves como roubo de carga, extorsão, estupro, roubo com restrição da liberdade, tentativa de homicídio e roubo a coletivo tiveram majoração entre 4,5% e 67%. Crimes como furtos de celular, furtos ao comércio e furtos a pedestres tiveram aumento entre 4,3% e 48,99%.
LEVANTAMENTO JANEIRO A AGOSTO
20162017DIFERENÇA%
ROUBO DE CARGA3457+ 2367,64
FURTO DE CELULAR3.8115,678+ 1.86748,99
EXTORSÃO128164+ 3628,13
ESTUPRO449568+ 11926,50
ROUBO C/ RESTRIÇÃO DA LIBERDADE294353+ 5920,07
FURTO EM COMÉRCIO2.7253.067+ 34211,45
TENTATIVA DE HOMICÍDIO562601+ 396,94
ROUBO EM COLETIVO1.7071.785+ 784,57
FURTO A TRANSEUNTE2.0812.172+ 914,376
ESTELIONATO9.4639.570+ 1071,13
Agosto de 2016 e agosto de 2017
Em agosto deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, foram registrados 354 casos a mais de furtos de celulares. Também houve aumento de 80% nos casos de roubos de cargas, que tinham maior incidência nos estados da região sudeste.
Segundo os dados, as tentativas de estupro aumentaram 19 casos nos meses de agosto. Já os registro de estupros consumados passou de 63 para 82 no mesmo período. E os casos de roubo com restrição da liberdade da vítima foram majorados em 53%.
As extorsões e as tentativas de homicídio, considerados crimes graves, também tiveram acréscimo significativo em agosto de 2017.
LEVANTAMENTO MESES DE AGOSTO 2016 E 2017
AGOSTO 2016AGOSTO 2017DIFERENÇA%
SEQUESTRO RELÂMPAGO12+ 1100%
FURTO DE CELULAR409763+ 35486%
ROUBO DE CARGA59+ 480%
TENTATIVA DE ESTUPRO712+ 571%
ROUBO COM RESTRIÇÃO DA LIBERDADE3046+ 1653%
ESTUPRO6382+ 1930%
FURTO EM COMÉRCIO299364+ 6521%
ROUBO A POSTO DE GASOLINA2327+ 417%
EXTORSÃO2023+ 315%
TENTATIVA DE HOMICÍDIO6877+ 913%
FURTO A RESIDÊNCIA648668+ 203%
Julho e agosto de 2017
Crimes graves continuaram tendo evolução em agosto como nos casos de roubo a residências, com 40%, roubos em coletivos, 32% e estupros consumados (inclusive de vulneráveis) em 17%.
Várias modalidades de furtos também tiveram ascensão como os casos de furtos de celulares, com 21%, furtos a residência, com 11,5%, furtos em comércio, com 8%.
LEVANTAMENTO JULHO e AGOSTO 2017
JULHO 2017AGOSTO 2017DIFERENÇA%
ROUBO DE CARGA693 
TENTATIVA DE ESTUPRO8124 
SEQUESTRO RELAMPAGO121 
LATROCÍNIO231 
ROUBO A RESIDÊNCIA52732140%
ROUBO A COLETIVO1622145232%
FURTO DE CELULAR62776313621%
ESTUPRO70821217%
FURTO A RESIDÊNCIA5996686911,5%
FURTO A TRANSEUNTE2.7813.08830711,%
FURTO EM COMÉRCIO334364308%
ESTELIONATO1.1691.245766,5%
Levando os dados como base, o sindicato afirma que a Secretaria de Segurança tem divulgado apenas os números que interessam a pasta. “A depender do mês, a SSP verifica quais as modalidades que tiveram uma queda e explora esses dados, deixando de informar, de maneira clara, quais as modalidades que tiveram aumento”, explica o presidente do Sinpol.
“Não sem razão, invariavelmente, a população questiona e contesta tais dados divulgados. A sensação de insegurança nas ruas é geral e, ao tentar vender a imagem de uma ‘Brasília segura’, o GDF deixa de fazer investimentos, contratações e valorizar os policiais. Por isso é bastante importante divulgar os dados reais da criminalidade no DF”, finaliza Gaúcho.
Secretaria nega acusação
Por sua vez, a Secretaria da Segurança negou que haja manipulação dos indicadores de criminalidade do DF. “Toda ocorrência criminal comunicada às delegacias da Polícia Civil vai para os bancos de dados Millenium e Polares da PCDF, onde fica registrada. A SSP/DF, em seus balanços mensais, divulga os dados filtrados dessas ferramentas”, afirma.
A secretaria ainda reforçou que a pasta é a única fonte oficial autorizada, por força de decreto, a publicar os índices criminais no DF. “Portanto, divulgar números sobre segurança pública de forma aleatória, sem análise, descontextualizados, adotando a tática do amedrontamento das pessoas, é um desserviço. Essa medida prejudica o direito das pessoas de ir e vir, de se sentir seguras dentro de suas casas, em seus trabalhos, escolas, universidades, enfim, no seu dia a dia”, alega.
Por fim, a pasta garantiu que que todos os esforços continuarão sendo feitos, junto com as forças de segurança, para que os indicadores da violência no DF diminuam.                         http://www.jornaldebrasilia.com.br
 
NOSSOGAMA.COM.BR © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot