• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Bem Informado Ninguém é Enganado

Bem Informado Ninguém é Enganado

Sandra Faraj Tenta Desqualificar Denúncia Feita Por Empresário (Ex-Fiel Da Igreja Dela), Mas Cadê Os Comprovantes?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017



Um empresário do Distrito Federal entrou na Justiça para cobrar faturas que, segundo ele, estão pendentes com o gabinete da deputada distrital Sandra Faraj (SD). Segundo Filipe Nogueira, a dívida chega a R$ 150 mil, referentes a serviços de divulgação da atividade parlamentar. A deputada diz que o trabalho foi pago.
De acordo com Nogueira, a verba indenizatória para honrar o contrato chegou a ser liberada pela Câmara Legislativa, mas não chegou ao caixa da empresa. O contrato foi firmado em fevereiro de 2015, e incluía serviços de publicidade, manutenção de site, envio de mensagens e emails para eleitores e confecção de banners, entre outros.
Com base nesse contrato, a Netpub Comunicação e Tecnologia teria entregue 12 notas fiscais ao gabinete de Sandra, com valores entre R$ 14 mil e R$ 15 mil. As notas constam na prestação de contas da parlamentar no site da Câmara Legislativa, carimbadas com um selo de “recebemos” ou seja, aparecem no sistema como quitadas. Segundo o empresário, esse registro “formal” foi exigência da deputada.
Ontem à noite, a deputada Sandra Faraj (SD) divulgou nota, atacando Nogueira, mas ela não apresentou nenhum comprovante de pagamento feito à empresa NetPub. A parlamentar precisa apresentar o comprovante de depósito, transferência bancária ou pagamento de boleto feito à empresa de Nogueira.
Afinal de contas, o dinheiro da verba indenizatória entrou na conta de Sandra Faraj, mas não entrou na conta da NetPub. Este Blog apurou que alguns funcionários foram obrigados por Sandra, a assinarem um documento com data retroativa, afirmando que não tinham parentes no gabinete. Na prática, Nogueira trabalhava no gabinete de Faraj enquanto a empresa, que está em nome da mulher e de um sócio, prestava serviços para o mesmo gabinete. Além dessa irregularidade, o empresário assume que assinou uma declaração em 2016, com data retroativa a 2015, negando que tivesse parente ou sócio prestando serviço à Câmara Legislativa.
E por último, a grande pergunta: Como a deputada Sandra Faraj disse desconhecer a empresária Michele (Sócia da NetPub ao lado do marido, Filipe Nogueira), sendo que o casal era assíduo frequentadores da igreja Ministério da Fé em Taguatinga Norte?
Mais uma vez se constata que, para fugir de denúncias, parlamentar utiliza palavras para tentar desqualificar seus acusadores.  Que as investigações da PCDF e do Ministério Público (inclusive com a quebra do sigilo bancário) possam esclarecer quem está com a verdade, e que a justiça seja feita.


Fonte: Donny Silva
 
NOSSOGAMA.COM.BR © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot