• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Bem Informado Ninguém é Enganado

Bem Informado Ninguém é Enganado

Câmara Legislativa dobra as despesas com viagens Só nos primeiros 10 meses deste ano gasto com passagens internacionais cresce 102% se comparado com 2015

segunda-feira, 21 de novembro de 2016
Foto: Kleber Lima
Francisco Dutra
francisco.dutra@jornaldebrasilia.com.br
A Câmara Legislativa dobrou o gasto com passagens internacionais na atual legislatura. Apesar da crise dos serviços públicos e da economia, não existiu turbulência financeira para deputados distritais e assessores legislativos quando o assunto era viajar para fora do Brasil. Em 2015, a Casa destinou R$ 58.115,51 ao pagamento de passagens para o exterior. Neste ano, entre janeiro e novembro, o desembolso dos cofres públicos para viagens internacionais subiu para R$ 121.488,30. Em termos percentuais, é um aumento de 102%.
A rota ascendente de gastos parlamentares com viagens internacionais foi identificada pelo Sistema Integrado de Gestão Governamental (Siggo). A pesquisa abrange toda a gestão da ex-presidente da Casa, deputada Celina Leão (PPS) e as primeiras semanas do atual presidente, deputado Juarezão (PSB).
Na análise dos pagamentos de viagens nacionais, a Câmara apresentou comportamento oposto. No ano passado, a Casa gastou R$ 49.591,04 em viagens pelo Brasil. Em 2016, até o momento, os embarques e desembarques regionais dos distritais ficaram na casa dos R$ 23.832,02. Ou seja, houve uma economia de 51,95%.
Com as devidas proporções, o Legislativo segue a mesma escala do Executivo. Na edição de 14 de novembro deste ano, o Jornal de Brasília noticiou o aumento dos gastos com viagens internacionais dentro do governo de Rodrigo Rollemberg (PSB). Na comparação entre 2015 e 2016, os gastos do GDF saltaram de R$ 870.608,69 para R$ 1.149.688,45. Coincidentemente, o Palácio do Buriti fechou o bolso para as viagens nacionais, mas por outro lado não fez cerimônia em elevar as despesas com passagens internacionais.
Segundo o cientista político Valdir Pucci, diante do cenário caótico do DF, o aumento dos gastos de dinheiro público com viagens é alarmante, principalmente no caso da Câmara. Afinal, teórica e constitucionalmente, o Legislativo tem a missão de fiscalizar o Executivo. Pela perspectiva do especialista, a Casa deveria em primeiro lugar, ser o exemplo positivo e cobrar a austeridade do GDF.
“Essa pratica mostra a falta de coerência dos políticos. Se discute tanto a crise, mas em contrapartida vemos gastos desnecessários como estes. Não fica claro quais são os benefícios destas viagens para a população. Seja no caso da Câmara ou do GDF, os eleitores têm a impressão de que o dinheiro público está sendo usado para bancar turismo”, ponderou.
Valdir Pucci lembrou que o intercâmbio de informações e negociação de acordos são estratégias positivas para projetos públicos do Legislativo e do Executivo. No entanto, neste tempo de crise, políticos podem usar tecnologias para poupar os cofres públicos, a exemplo da videoconferência.
Do ponto de vista do cientista político, viagens deveriam ser exceções, monitoradas em detalhes. Seria necessário um modelo de fiscalização com a apresentação da justificativa para o embarque, seguida pela apresentação dos resultados concretos no desembarque.

Saiba mais
Na leitura do cientista político Valdir Pucci, a postura da Câmara e do Buriti distância ainda mais os poderes da população. Não adianta fazer propaganda e campanhas publicitárias, se por outro lado os atos de políticos e gestores demonstram total despreocupação com a crise no DF.
O debate também é cultural. O especialista ressaltou que a classe política possuí a visão que pode gastar os recursos públicos como bem entender. Qualquer retorno, satisfação ou feedback para a população é um favor e não uma obrigação.
Segundo o Siggo, a Câmara Legislativa gastou com diárias R$ 123 mil em 2015. Já neste ano, o pagamento de despesas com hospedagens ficou em R$ 75 mil.
Vice diz que ele próprio não viajou
Pelo menos na promessa, a Câmara Distrital fechou as portas para novas viagens internacionais às custas do dinheiro público. Segundo o presidente da Casa, deputado Juarezão, o Legislativo não autoriza novos pagamentos de passagens e diárias para parlamentares e servidores, desde agosto passado.
Nesse mês, Juarezão e a Mesa Diretora interina da Casa publicaram um ato proibindo gastos com viagens. A medida, segundo a Mesa, está valendo.
“Em primeiro lugar gostaria de salientar que seja na condição de deputado ou de agora membro da Mesa Diretora, não fiz qualquer viagem, seja local ou ao exterior, utilizando de verba pública. Portanto com extrema isenção para emitir uma opinião. Pensando assim, embora não critique os deputados que utilizaram de verbas oficiais para tal, na sua quase unanimidade justificáveis, entendo que o Poder Público, em qualquer instância, não pode transformar-se numa agência de viagens”, afirmou Juarezão, em nota.
Jornal de Brasília procurou a deputada Celina Leão para falar sobre o assunto. Mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta da parlamentar.
 
NOSSOGAMA.COM.BR © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot