• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Do Alto da Torre Redação JBr (01/04)

domingo, 3 de abril de 2016
Advogado de Brasília busca impeachment do vice Temer
Um jovem advogado de Brasília, Eduardo Bismarck Maia, protocolará hoje na Câmara dos Deputados, ao lado do ex-ministro Ciro Gomes (foto), um pedido de impeachment de ninguém menos do que o vice-presidente da República, Michel Temer. É o cumprimento de uma promessa de Ciro: se o impeachment avançar, fará tudo para impedir que Temer assuma.
Será que é coisa do governador?
A esquecida CPI da Saúde é o assunto mais comentado na Câmara Legislativa. Tanto nos corredores quanto nos gabinetes e plenário. Protocolado há 15 dias, o requerimento de criação do colegiado para investigar má gestão na saúde pública do DF, o documento foi retirado de pauta, sem explicação aos 15 deputados que assinaram o papel. “Confiança exige reciprocidade”, disse Wasny de Roure (PT), na sessão de ontem. Os parlamentares cobraram explicações do deputado Lira (PHS), autor do requerimento.  "Precisamos saber se isso foi coisa dele ou do governador. Ele retirou sem falar com ninguém", observou Ricardo Vale (PT). Mas o deputado de São Sebastião não apareceu por lá...

De onde vem o rombo
O deputado distrital Rodrigo Delmasso (PTN) protocolou requerimento para que a Comissão de Fiscalização da Câmara Legislativa investigue a origem do déficit herdado pela gestão Rollemberg de R$ 1,8 bilhão, conforme apontou o secretário adjunto de Planejamento, Renato Brown, em audiência pública para prestação de contas de 2015, ontem, na Casa. “A abertura do procedimento terá por escopo viabilizar uma ação mais efetiva desta Casa, em especial por meio da Comissão de Fiscalização, ao permitir o conhecimento da origem desse déficit herdado”, justificou o parlamentar. 

Novo espaço na agenda 
O governador Rodrigo Rollemberg passou a abrir espaços na agenda para receber líderes comunitários. Os encontros costumam ser em seu gabinete, acompanhados apenas por assessores jovens. Tudo é gravado. A partir das anotações que faz, Rollemberg encaminha as reivindicações — em geral de custo menor — a cada área do governo, com determinação para atendimento imediato. A turma do gabinete vê nessa nova agenda o dedo da filha Gabriela, advogada especializada em Direito Eleitoral, que sequer faz parte da equipe do Buriti.

Sim e não palacianos 
“Estou acompanhando a formação dos novos blocos, sim. Mas não fiz e nem vou fazer nada para influenciar a definição da presidência da Câmara Legislativa”, garante  o governador Rodrigo Rollemberg, que tem acompanhado  com lupa a redistribuição de forças no Legislativo, após revoada de troca de partidos. Ele nega, no entanto, qualquer estratégia para conduzir ou nortear a votação em segundo turno da emenda à Lei Orgânica que permite reeleição para o comando da Casa. Certos articuladores governistas também juram de pés juntos que o governador adotou uma postura de neutralidade em relação à disputa pelo comando da Casa... Pelo menos, por enquanto.  

Chances de respiro apenas no 2º quadrimestre 
O Palácio do Buriti calcula que só terá chances de voltar aos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) a partir do 2º quadrimestre deste ano. Pelas estimativas do secretário- adjunto de Planejamento, Renato Brown, a arrecadação apresenta alguns sinais de melhora. Um exemplo é o imposto sobre o comércio eletrônico. O governo só poderá retomar concursos e contratações sem preocupações quando o DF voltar aos eixos da LRF.  

Para roubar?
O bispo Renato Andrade (PR), oposicionista, declara-se totalmente contrário à atuação das organizações sociais na rede pública de Saúde. “Isso é coisa pra quem quer roubar ou pra quem quer deixar roubar”, afirma o distrital.

Divórcio 
Para presidente regional do PT no DF, Roberto  Policarpo, as pedaladas fiscais não são argumento para o impeachment da presidente Dilma Rousseff. O líder petista também considera que Michel Temer está longe de ser uma solução para o Brasil. “Dezesseis governadores fizeram a mesma coisa (pedaladas). E o Michel Temer não é a solução para a crise. Se ele não unifica nem o PMDB, vai unificar o País? A solução é sentarmos todos e dialogar uma resolução para a crise econômica”, criticou. O líder do PT na Câmara Legislativa, deputado distrital Wasny de Roure,  considera que o grande erro do Governo Federal foi ter confiado demais no PMDB.

Fora da toca
Sumido de compromissos públicos desde que deixou o GDF, o ex-governador Agnelo Queiroz resolveu dar as caras. O ex-chefe do Executivo distrital marcou presença, ontem, na manifestação contra o impeachment da presidente Dilma. A tiracolo, o ex-administrador de Brazlândia Bolivar Rocha, seu fiel escudeiro durante a fracassada campanha de reeleição. Hoje, Rocha ocupa cargo no gabinete da distrital Luzia de Paula, do PSB, o partido do governador Rollemberg.
 
BLOG DO PASTOR RONNE © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot