• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

COM VOCÊ / NOSSO GAMA

Do Alto da Torre Redação JBr (17/02)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Enquanto a janela não chega, o assédio é grande
Os celulares dos distritais não param. Com a iminência da promulgação da Emenda Constitucional 113/2015, que abre “janela” para troca de partidos sem perda de mandatos, dirigentes de legendas se desesperam em busca de representação na Câmara Legislativa. E os parlamentares contam, orgulhosos, que acumulam muitos convites. “Graças a Deus”, repete o deputado Wellington Luiz, que ainda hoje é do PMDB. Ele disse que analisa a possibilidade de trocar de sigla, atento ao que vai ocorrer nos próximos dias. Nos bastidores, dizem que o esvaziamento da legenda faz parte da estratégia do presidente Tadeu Filippelli de se candidatar ao Palácio do Buriti em 2018. Ele tentaria controlar o máximo de partidos para viabilizar a candidatura. A saída de Robério Negreiros  é certa, já que está no partido apenas de corpo presente e esperava decisão judicial para se desligar em definitivo. Rafael Prudente é outro que pode aproveitar a janela para buscar nova legenda. Mas ele diz que prefere esperar a promulgação da emenda para ter certeza de que será realmente viável a troca. São pelo menos oito convites a serem analisados, diz ele. “De pequenos, médios e grandes partidos”, exalta. 

Saída certa
Liliane Roriz está de malas prontas para deixar o PRTB e ir para o PTB, do ex-senador Gim Argelo. Ela diz atender convite da presidente nacional do partido, Cristiane Brasil, que, por acaso, é filha do ex-deputado Roberto Jefferson.  

Caras novas 
A Câmara Legislativa elegeu, ontem, os presidentes e vices de suas dez comissões permanentes. Houve mudanças em apenas quatro. Rodrigo Delmasso (PTN) se tornou presidente da Comissão de Fiscalização, Governança, Transparência e Controle, e vice na de Defesa do Consumidor. O deputado Lira (PHS) é o novo vice da Comissão de Direitos Humanos, enquanto Roosevelt Vilela (PSB), até então sem assento nos colegiados, contentou-se com a vice-presidência da Comissão de Segurança.
Demitida filha de João Goulart
Se alguém ainda duvida de que o PDT anda em baixa, dentro e fora do governo, basta consultar o Diário Oficial. Assessora especial do ministro do Trabalho desde o primeiro governo Dilma, Denise Goulart foi comunicada ontem de sua demissão. Vem a ser a filha de um ministro do Trabalho nos anos 50, João Goulart, por acaso também presidente da República na década seguinte. Moradora de Brasília, Denise Goulart foi nomeada para a assessoria, em cargo comissionado, pelo então ministro Manoel Dias, do PDT. Com a última reforma ministerial de Dilma, o partido viu-se transferido para a pasta das Comunicações. O PT assumiu o Ministério do Trabalho, lá instalando Miguel Rossetto, despejado da Secretaria Geral da Presidência. Foi Rossetto quem assinou a demissão de Denise.  

Secretário de Mobilidade é chamado por CPI dos Transportes
Quando o governo Rollemberg reconheceu uma dívida de mais de R$ 12 milhões com as antigas empresas de ônibus do DF, despertou a indignação da CPI dos Transportes. Os distritais a exemplo de alguns órgãos de fiscalização consideram que o GDF não deveria reconhecer o débito com os empresários que operavam o sistema antes da polêmica licitação, alvo de investigação da CPI. Por isso, os parlamentares decidiram chamar o secretário Marcos Dantas para conversar. Mas essa história tem um complicador. Os deputados estão com um pé atrás com o governo desde o ano passado, pois mandaram uma série de perguntas e sugestões e até agora a única resposta que receberam foi o silêncio. Caso Dantas não compareça, a CPI poderá fazer uma convocação formal.

Samba no Plenário
Depois das denúncias de superfaturamento em cachês de bandas pagas com recursos de emendas parlamentares da deputada  Luzia de Paula (Rede), representantes da classe artística lotaram as galerias do Plenário da Câmara Legislativa, ontem, para manifestar apoio à parlamentar. Até a bateria de uma escola de samba esteve no local. Mas quem sambou mesmo foi a própria Luzia de Paula, que arriscou alguns passos, enquanto a sessão estava suspensa. Com riso largo e polegares levantados, acenou para os participantes, aprovando o ato. A deputada também ganhou apoio de pelo menos oito colegas, que foram à tribuna dizer que a responsabilidade de executar as emendas não é do parlamentar. 

Magrinhos
As férias fizeram bem a alguns deputados distritais, que têm desfilado mais esbeltos na Câmara Legislativa. Telma Rufino emagreceu mais de dez quilos e permanece firme na dieta. Rodrigo Delmasso relata, orgulhoso, o progresso: “Dezenove quilos em dois meses e meio, somente com reeducação alimentar”.
PinguePongue
De saída do PDT, a presidente da Câmara Legislativa, deputada  Celina Leão confirma que se filiará ao PPS, assim que a Proposta de Emenda à Constituição que institui a janela para a mudança partidária for promulgada. Sobre a entrevista do ex-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle, à coluna, ontem, ela diz que, para a Justiça, ele elogia o Legislativo local. 
A senhora se sentiu afrontada pelo ex-chefe da Casa Civil do DF, Hélio Doyle, que disse que a Câmara Legislativa em nada acrescenta ao Executivo?
O que ele falou sobre a Câmara no Judiciário é bem diferente: ele disse  que esta Casa  é ilibada, que  só tem gente competente. O que ele fala não tem relevância, nem no campo político, nem  ideológico. Ele não é ninguém. 
Sua ida para o PPS é certa?
Sim. Vou  acompanhar os senadores Cristovam Buarque e Reguffe. Vamos tentar fazer uma política diferente.
Com a saída do PDT, a senhora já começa a se articular para 2018?
Acho que nenhum político fará uma movimentação partidária sem pensar em 2018. É claro que tem a ver com 2018, mas o que contou muito neste momento é que  eu fui convidada para ir para o PDT pelo Cristovam e pelo Reguffe e eu não posso, com a saída deles, permanecer lá. Ainda mais com essa distância ideológica e o apoiamento ao PT, que se posiciona contrário a mim. Agora, eu tenho muito respeito pelo partido, fui muito bem acolhida no PDT, fiz amigos no partido. Saio com as portas abertas. Não tenho o que reclamar do PDT.
O PDT  tenta convencê-la a mudar de ideia?
O presidente nacional Carlos Lupi  me ligou, me fez um apelo e pediu que eu fizesse uma reflexão. E eu tenho muito carinho por ele, porque ele sempre foi muito correto comigo, me deu independência para trabalhar, me apoiou em um dos momentos mais difíceis, que foi na votação da proposta da reeleição. Eu não tive os votos de todos os deputados do PDT, mas tive o apoio dele, interno. 
O fato de o deputado licenciado Joe Valle ter assumido uma super secretaria e, com isso, ter se fortalecido politicamente, influenciou na sua decisão?
Não faço política por cargos. Eu tenho a presidência da Câmara Legislativa e poderia ter o dobro de cargos que o Joe tem. Mas eu não acredito que este seja o caminho. 
No PPS, como será a relação com o governo Rollemberg?
Vai ser construída, em cima de projetos políticos para a cidade. O PPS quer que a cidade funcione.
 
BLOG DO PASTOR RONNE © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot