• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Bem Informado Ninguém é Enganado

Bem Informado Ninguém é Enganado

Liliane Roriz critica GDF por aumento nos Restaurantes Comunitários

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Parlamentar apresentar um PDL para sustar efeitos do reajuste que elevou de R$ 1 para R$ 3 o prato de comida no “Rorizão”
lilianerorizrestaurante
A deputada distrital Liliane Roriz criticou o aumento no preço dos Restaurantes Comunitários no Distrito Federal. Desde a quinta-feira (1º), o valor do prato de comida passou de R$ 1 para R$ 3. A parlamentar já adiantou que apresentará um Projeto de decreto Legislativo (PDL) para sustar os efeitos do aumento que, segundo ela, “só prejudica a população que mais precisa”.
Reajustar os preços nos Restaurantes Comunitários é uma das medidas anunciadas pelo GDF para combater a crise econômica que o DF está passando. Porém, para Liliane Roriz, não é aumentando o valor da comida em três vezes que o governo conseguirá estancar a crise. “Já não é possível entender quando o Estado quer passar a conta para que a população pague. Ainda mais quando quer que a população mais carente pague, aí é inadmissível”, argumenta a deputada.
Chamado de “Rorizão”, os restaurantes comunitários foram criados pelo ex-governador Joaquim Roriz, pai da parlamentar, para oferecer comida de qualidade e acessível para a população mais carente. O próprio Roriz criticou o aumento do preço da comida em entrevista publicada recentemente. “Os restaurantes comunitários não foram criados para dar lucro para o governo. É dever social do Estado garantir alimentação para as pessoas que precisam comer e não têm como pagar preços altos”, acredita Liliane Roriz.
Liliane tem feito duras críticas ao GDF quando o assunto são reajustes de passagens de ônibus, Zoológico e restaurantes comunitários. “Apoio quando o governo acerta, mas sou independente para dizer o que penso e descordar de atitudes como essas”, frisa. De acordo com ela, as pessoas mais humildes precisam do ônibus, comem nos restaurantes comunitários e têm como única opção de lazer, um passeio no Zoológico. “É como se o governo estivesse dificultando o ir e vir dessas pessoas, tirando a comida da boca delas e obrigando a elas que fiquem em casa, sem se divertirem. Uma atitude quase desumana neste momento em que todo brasileiro vive uma situação difícil, com dinheiro minguado, sofrido”, dispara a deputada.
 
NOSSOGAMA.COM.BR © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot