• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Bem Informado Ninguém é Enganado

Bem Informado Ninguém é Enganado

CPI aprova nota de repúdio contra aumento de tarifas de transporte

quinta-feira, 24 de setembro de 2015


Desde o início desta semana, as passagens tiveram um aumento médio de 40%. A nota foi aprovada por todos os integrantes da CPI do Transporte
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte da Câmara Legislativa aprovou Nota Pública de Repúdio contra o aumento das tarifas de transporte público. Desde o início desta semana, as passagens tiveram um aumento médio de 40%. "Espero que o governo volte atrás em sua decisão", afirmou Raimundo Ribeiro (PSDB). Sandra Faraj (SD) também considera que ainda é possível o caminho do diálogo. A nota foi aprovada por todos os integrantes da CPI do Transporte.
 
Canhedo
 
O empresário Wagner Canhedo, dono da Viação Planalto (Viplan), afirmou que as empresas que não contrataram o escritório de advocacia de Sacha Reck foram excluídas do processo licitatório que renovou as concessões de transporte público em 2012. Canhedo depôs na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Transporte da Câmara Legislativa na manhã desta quinta-feira (24), que também ouviu o então subsecretário de políticas de transporte e trânsito, Luis Fernando Messina.
 
Ao responder às questões do presidente da CPI, deputado Renato Andrade (PR), Canhedo reiterou, diversas vezes, que "só ganhou a concorrência quem contratou Sacha Reck, de Curitiba". O advogado participou da elaboração do edital para a renovação da frota de ônibus do DF. Por esse motivo, o depoente considerou que houve direcionamento no processo de licitação. Segundo ele, a Viplan, permissionária de ônibus durante 44 anos no DF, foi excluída da licitação apesar de ter apresentado a menor tarifa técnica. Canhedo disse ainda que teria contratado o escritório de Sacha Reck se soubesse que isso garantiria a não exclusão da Viplan. 
 
Embora enfático em suas declarações, o depoente alegou, ao ser indagado pelo deputado Raimundo Ribeiro (PSDB), não dispor de provas que comprovassem suas afirmações. Mas prometeu enviar à CPI cópia dos documentos que integram as ações judiciais movidas pela Viplan sobre o processo licitatório.
Fonte: CLDF
 
NOSSOGAMA.COM.BR © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot