• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Rollemberg tem 32%; Frejat, 24%; e Agnelo, 19%, aponta pesquisa Ibope Instituto ouviu 1.806 pessoas no DF entre os dias 27 e 30 de setembro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

terça-feira, 30 de setembro de 2014
Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (30) aponta o candidato Rodrigo Rollemberg (PSB) com 32% das intenções de voto para governador do Distrito Federal. Em segundo lugar está Jofran Frejat (PR), com 24%, seguido de Agnelo Queiroz (PT), que tem 19%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Em seguida aparecem empatados os candidatos Luiz Pitiman (PSDB) e Toninho do PSOL (PSOL), com 3%. Perci Marrara (PCO) teve 0%.Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):
Rodrigo Rollemberg (PSB): 32%
Jofran Frejat (PR): 24%
Agnelo Queiroz (PT): 19%
Luiz Pitiman (PSDB): 3%
Toninho do PSOL (PSOL): 3%
Perci Marrara (PCO): 0%
- Branco/nulo: 9%
- Não sabe/não respondeu: 10%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo. Foram ouvidos 1.806 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 27 e 30 de setembro. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00061/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-0904/2014.

Segundo turno
O levantamento também abordou três cenários de um eventual segundo turno:
- Frejat: 48%
- Agnelo: 28%
- Branco/Nulo: 15%
- Não sabe: 9%
- Rollemberg: 49%
- Frejat: 30%
- Branco/Nulo: 12%
- Não sabe: 9%

- Rollemberg: 57%
- Agnelo: 23%
- Branco/Nulo: 13%
- Não sabe: 8%
Rejeição
A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição, e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 49%
- Jofran Frejat (PR): 15%
- Toninho do PSOL (PSOL): 12%
- Luiz Pitiman (PSDB): 11%
- Perci Marrara (PCO): 10%
- Rodrigo Rollemberg (PSB): 6%
- Poderia votar em todos: 7%
- Não sabe/não respondeu: 15%

Avaliação do governo
A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 3%, o governo é “ótimo”; 17% o consideram “bom”; 32%, regular; 15%, “ruim”; e 30%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 4%.         G1 DF
Leia Mais....

Dia Nacional do Idoso tem programação especial no DF


A programação contará com passeios culturais, apresentação musical e o lançamento da Cartilha do Idoso
A partir da próxima segunda-feira (29), serão realizadas diversas atividades em alusão ao Dia Internacional do Idoso comemorado no dia 1 de outubro. O evento será promovido pela Secretaria do Idoso do Distrito Federal e tem como objetivo reforçar a política de integração da pessoa idosa na sociedade.  A programação se estenderá até quinta-feira (02) incluindo diversas ações como, passeios no Jardim Botânico de Brasília, palestras e um Tour pelo Zoo.
Além dessas atividades, acontecerá o Lançamento da Cartilha do Idoso - “A Pessoa Idosa e seus Direitos Legais” -  com diversas informações de acordo com a Lei 10.741 (Estatuto do Idoso).
De acordo com o Secretário do Idoso Ricardo Quirino, o objetivo é contribuir para o maior esclarecimento da população. “A Cartilha busca, em linguagem clara e direta, informar o idoso sobre seus direitos individuais e sociais, além de indicar os locais de atendimento, no caso de violação, e esclarecer as políticas públicas desenvolvidas que os favorecem”, acrescenta.
 A participação é livre. Para mais informações, basta entrar em contato com a Secretaria pelo telefone: 3245-3969/3245-4588 ramal: 213

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
Leia Mais....

Bancários do Distrito Federal entram em greve nesta terça-feira


A expectativa é de que os bancos parem as suas atividades por tempo indeterminado, após terem considerado insuficiente a proposta apresentada pela Fenaban
Lia Sahadi
lia.sahadi@jornaldebrasilia.com.br
Uma assembléia realizada na Praça do Cebolão, no Setor Bancário Sul, reuniu os mais de 3 mil bancários do Distrito Federal, que aprovaram por maioria, o início da greve.
A expectativa é de que na próxima terça-feira (30) a categoria pare as suas atividades por tempo indeterminado, após terem considerado insuficiente a proposta apresentada pela Federação Brasileira dos Bancos, que inclui reajuste de 7% no salário, na PLR e nos auxílio refeição, alimentação e creche. além de 7,5% no piso. 
As principais reivindicações dos bancários são: 
- Vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá: R$ 724,00 ao mês para cada (salário mínimo nacional);
- Melhores condições de trabalho: com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoecem os bancários;
- Emprego: fim das demissões e da rotatividade, mais contratações, proibição às dispensas imotivadas, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações diante dos riscos de aprovação do PL 4330 na Câmara dos Deputados, do PLS 087 no Senado e do julgamento de Recurso Extraordinário com Repercussão Geral no STF; Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS): para todos os bancários;
- Auxílio-educação: pagamento para graduação e pós;
- Reajuste salarial: 12,5%;
- PLR: três salários mais R$ 6.247;
- Piso: R$ 2.979,25 (salário mínimo do Dieese em valores de junho);
- Prevenção contra assaltos e sequestros: cumprimento da Lei 7.102/83, que exige plano de segurança em agências e PABs; de cofres e agências por bancários;
- Igualdade de oportunidades para todos, pondo fim às discriminações nos salários e na ascensão profissional de mulheres, negros, gays, lésbicas, transexuais e pessoas com deficiência (PCDs).
Nova Assembléia
Na próxima segunda-feira (29), haverá uma nova assembléia na Praça do Cebolão, marcada para começar às 19h, que definirá os rumos do movimento. Os bancários devem ratificar a decisão da assembléia.
Além do DF, mais 18 estados entraram em greve
Além do Distrito Federal, a paralisação foi aprovada nas capitais de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis e Campo Grande. E nos estados: Alagoas, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Pará, Roraima, Acre, Sergipe, Espírito Santo e Rio Grande do Norte 
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
Leia Mais....

Ciclista atropelado no Gama na manhã desta terça-feira


A vítima já foi socorrida, mas ainda não foi divulgado seu estado de saúde
Lia Sahadi
lia.sahadi@jornaldebrasilia.com.br

Na manhã desta terça-feira (30), um ciclista, que pedalava pelo acostamento, foi atingido pela roda de um caminhão que se soltou. A bicicleta foi partida ao meio.
O acidente aconteceu na DF-001, próximo ao Balão do Periquito, no Gama. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima já foi socorrida, mas ainda não foi divulgado seu estado de saúde. 
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
Leia Mais....

Cão da raça Pit Bull ataca dono que morre na hora


O aposentado Miguel dos Santos Oliveira, 82 anos, foi atacado no quintal de casa que fica na quadra 1 do conjunto F da Fazendinha
Ary Filgueira  (30/09)
ary.filgueira@jornaldebrasilia.com.br

A parceria de um ano terminou de forma trágica para o dono de um cachorro da raça Pit Bull no Itapoã. Sem nenhum motivo, o  animal o atacou com uma mordida fatal. Sem chance de se defender, o homem morreu na hora.
O aposentado Miguel dos Santos Oliveira, 82 anos, foi atacado no quintal de casa que fica na quadra 1 do conjunto F da Fazendinha. A mordida do cachorro atingiu o pescoço da vítima morava sozinho, o que dificultou o acesso para o socorro.
De acordo com a filha da vítima, Agnes Oliveira, 41 anos, Miguel não se sentia seguro onde morava, por isso há mais ou menos um ano resolveu criar um casal de Pit Bulls, mesmo com a reprovação dela. “Isso serve de exemplo para as pessoas não criarem mais cachorros dessa raça”, afirmou.
Ainda segundo a família, o cão chamado Xeriscom nunca atacou ninguém. Os familiares ainda não decidiram se vão permanecer  ou sacrificar o animal. A 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) investiga o caso.  

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
Leia Mais....

Presos suspeitos de matar sobrinho de Jofran Frejat


Victor Barbosa Gaze Sobra, de 21 anos,l foi atingido no peito em uma festa no Setor de Clubes Sul
Foram presos nesta segunda-feira (29) dois suspeitos dos disparos que resultaram na morte do sobrinho bisneto do candidato a governador Jofran Frejat (PR), Victor Barbosa Gaze Sobral, de 21 anos. O crime ocorreu na última sexta-feira (26) em frente ao Clube de Engenheiros, no Setor de Clubes Sul.
O homicídio está sendo investigado pela 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul. Com os suspeitos foi encontrado um revólver calibre 38, com seis munições.
Relembre o caso
De acordo com a ocorrência policial, Victor morreu ainda no local após ser atingido no peito. Outras duas pessoas foram vítimas. Uma delas, não identificada, levou um tiro na coxa e outra, de 23 anos, recebeu ferimento de raspão na cabeça.
Em nota, o candidato lamentou o fato e classificou o ocorrido como "inaceitável caso de violência". Segundo a assessoria de Frejat. O enterro aconteceu na tarde de sábado (27), às 17h no cemitério Campo da Esperança do Plano Piloto.
Fonte: Da redação do Jornal de Brasília
Leia Mais....

Sentença de Agaciel Maia nos ‘atos secretos’ cria suspense em Brasília

segunda-feira, 29 de setembro de 2014
agacielmaia2014
Na reta final da campanha eleitoral, crescem nos meios políticos e jurídicos de Brasília as expectativas em torno da sentença a ser proferida pelo juiz Jamil Rosa de Jesus Oliveira, no processo em que o deputado Agaciel Maia (PTC) é réu em ação cível de improbidade administrativa. O processo foi instaurado em 2010 por iniciativa do Ministério Público. Desde o dia 9, os autos estão conclusos.
Agaciel Maia, vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, é um ferrenho aliado do governador Agnelo Queiroz (PT). Ex-diretor-geral do Senado, ele foi indiciado em 2009 naquela Casa legislativa por improbidade administrativa no que ficou conhecido como o escândalo dos atos secretos. Os autores da ação entendem que Agaciel usou dos seus poderes para beneficiar parentes, amigos e familiares de senadores.
O processo envolve mais pessoas. Uma delas é João Carlos Zoghbi, ex-diretor de Recursos Humanos à época de Agaciel Maia. Segundo o Ministério Público, os dois eram os principais operadores de um suposto esquema que ocultou a publicação de milhares de atos administrativos. Suspeita-se da conivência no processo fraudulento, de Franklin Albuquerque Paes Landim, então chefe do Serviço de Publicação.
Os procuradores acusam Agaciel Maia de obter prestígio junto aos senadores mediante atos ilícitos. Tanto, que resistiu por mais de 15 anos à frente da Diretoria Geral. Se for condenado, Agaciel terá de devolver aos cofres públicos o dinheiro pago indevidamente a servidores em razão da implementação de atos secretos. Ele poderá, ainda, ter os direitos políticos suspensos.
Procurado por Notibras, Agaciel Maia, que tenta mais um mandato de deputado distrital, preferiu cobrir-se com o sagrado manto do silêncio. No escritório que acompanha o processo, a informação é a de que os advogados estão ausentes de Brasília. No gabinete do juiz Jamil Oliveira, a assessoria revelou que não há prazo definido para a publicação da sentença.
José Seabra


Fonte: Notibras
Leia Mais....

Líderes evangélicos confirmam apoio à Marina Silva

A candidata esteve em São Paulo em um encontro com líderes de diversas regiões do país
por Leiliane Roberta Lopes
marina2_20140925075401








Líderes evangélicos confirmam apoio à Marina Silva
Na manhã da última sexta-feira (26) a candidata à Presidência Marina Silva (PSB) esteve em São Paulo participando do Encontro Nacional de Lideranças Evangélicas.
Promovido pela apóstola Valnice Milhomens, o evento atraiu centenas de líderes evangélicos de diversas denominações até o Club Homs, localizado na Avenida Paulista.
Entre os presentes estava o apóstolo César Augusto da Igreja Fonte da Vida que foi o responsável pela oração inicial da reunião. Vindo de Brasília para declarar seu apoio à Marina, César Augusto afirmou que a ex-senadora representa um novo tipo de fazer política citando três motivos para votar nela.
“O meu apoio e da Fonte da Vida, segmento que represento, se deu primeiro porque ela representa um novo tipo de política, segundo porque a alternância de poder é saudável para a democracia e terceiro porque ela comunga dos mesmos princípios que nós comungamos”, disse.
Na mesa disposta no palco estavam a candidata e três representantes evangélicos, o pastor Lélis Marinho, coordenador político da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), a apóstola Valnice Milhomens, da Igreja Nacional do Senhor Jesus Cristo, e o pastor ED René Kivitz da Igreja Batista da Água Branca.
Marinho confirmou o apoio da CGADB à Marina em um breve discurso onde falou sobre a crise financeira no Brasil. Citando textos bíblicos, ele encorajou os ouvintes dizendo que Deus está no controle de tudo e afirmou que Marina está sendo levantada por Deus para mudar essa situação.
O pastor assembleiano também fez um apelo aos evangélicos dizendo: “Nós estamos ameaçados, nossos princípios estão ameaçados. Temos poucos dias, vamos dobrar nossos joelhos”.
A anfitriã do evento foi breve em seu discurso, falando que as lideranças resolveram se reunir com Marina para apoiá-la, sem fazer nenhum tipo de cobrança. “Não estamos aqui para criticar ou pedir, mas para dizer que estamos contigo”.
O pastor Ed René Kivitz foi o responsável pelo discurso principal que enalteceu a candidata do PSB falando sobre sua trajetória política. Kivitz também afirmou que seu apoio não foi escolhido por conta da religião de Marina, mas por suas propostas e pelo que ela representa para o Brasil.
“Não é hora de mudar a página, é hora de mudar o livro”, disse ele arrancando aplausos dos presentes. Ao se dirigir à Marina, o pastor batista de visão progressista afirmou: “Não se intimide. Só agride quem tem medo”.
Kivitz estava se referindo às perseguições que Marina tem enfrentado por parte de seus adversários políticos. Desde que se tornou a candidata do PSB, após a morte de Eduardo Campos, Marina passou a se destacar nas pesquisas eleitorais.
Para impedir este avanço os candidatos do PT, Dilma Rousseff, e do PSDB, Aécio Neves, passaram a atacá-la nas propagandas eleitorais e nos eventos.
Entre os ataques há rumores de que a pessebista acabaria com o programa Bolsa Família; que ela não tem experiência em cargo executivo e que seu plano de governo foi “escrito a lápis”, se referindo às mudanças do texto apresentado pelo PSB.
Marina apresenta suas propostas aos pastores
Marina foi convidada a falar com os líderes reunidos e não tocou em temas recorrentes como aborto e casamento gay, falando de propostas para a reforma política, segurança pública, saúde, educação e economia.
A candidata afirmou que nunca em sua trajetória política se valeu da religião para conquistar votos, nem mesmo quando era católica. “Jamais instrumentalizei minha fé. Há uma diferença entre o político evangélico e o evangélico político”, disse. A ex-senadora explicou a diferença entre eles dizendo que o primeiro instrumentaliza a fé e o segundo sabe que não se deve fazer isso.
“As pessoas tinham uma visão de que por ser evangélica eu iria transformar as igrejas em palanques e os palanques em púlpitos.”
Frustrando quem esperava esse tipo de atitude, Marina não tem se apresentado dentro de igrejas e está dialogando com representantes das mais diferentes religiões.
Voltando a falar de seus projetos, Marina Silva prometeu manter as coisas boas já realizadas pelos antecessores, corrigir o que estiver errado e fazer o que precisa ser feito.
“Meu objetivo não é ser presidente da República, mas de ajudar a melhorar o Brasil”, disse ela se comprometendo também a não difamar seus concorrentes, mesmo sendo alvo deles. “Não quero destruir Dilma ou Aécio, quero construir o Brasil.”
Fonte: Gospel Prime
Leia Mais....

Líder nas pesquisas: Reguffe falta ao debate e é massacrado pelos adversários


Sem apresentar propostas, Gim e Magela se uniram para criticar o concorrente

Reguffe exigiu que uma das regras do debate fosse alterada. Os demais candidatos e a Tv Recod concordaram com a mudança. No entanto, mesmo com as alterações, o candidato não quis participar.
Os outros dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas, Geraldo Magela (PT) e Gim Argello (PTB), aproveitaram a ausência do adversário e deixaram clara a tentativa de desconstruir a imagem de político honesto vendida por Reguffe...
Não houve nenhum embate entre os dois e foram poucos os momentos em que Magela e Gim apresentaram propostas ou ideias. Durante praticamente todo o debate, os dois desafiavam Reguffe e criticavam a desistência do candidato.
Gim não poupou críticas nem acusações. Em vários momentos afirmou que Reguffe perderia as eleições justamente por ter “fugido” do debate.
— Ele perdeu a eleição hoje aqui porque ninguém quer alguém que não tem coragem de se colocar. Que dia que ele teve de enfrentar o plenário? E que dia que ele teve de enfrentar o Congresso de frente? Você [Reguffe] cometeu um erro mortal. Você perdeu a eleição hoje, você não vem, porque você é falso moralista, você é um blefe na política.
Magela também enfatizou seu repúdio à ausência do principal adversário. O petista desafiou Reguffe a organizar um debate com suas próprias regras e convidar os oponentes para provar que não tem “medo” do confronto.
— É medo da verdade. É um candidato fujão, medroso, tem medo do debate e do confronto de ideias. Ele acha que já ganhou a eleição e que vai ser nomeado, mas agora é que o eleitor vai começar a pensar.
Preocupação com a imagem
Tanto Magela como Gim acusaram Reguffe de criar um personagem de “bom moço”. Segundo os candidatos que participaram do debate, o líder das pesquisas se preocupa muito com a imagem e tenta interferir no trabalho da imprensa para que nada prejudicial seja publicado contra ele.
Todas as perguntas feitas no confronto direto entre os candidatos envolviam uma acusação contra Reguffe. A denúncia de que ele trabalhava no gabinete de um tio e que fez parte da equipe de Arruda quando ele era senador foram as que mais repercutiram.
De acordo com Gim, Reguffe trabalhava no gabinete de Arruda, mas só aparecia no fim do mês para assinar o ponto.
— Ele criou um personagem para enganar todo mundo. Ele vive no telefone pedindo para não apanhar: “não me bate não”. Quem é jornalista sabe do que eu estou falando. Ele trabalhou no gabinete do tio, trabalhou no gabinete do Arruda como funcionário fantasma. Não vamos votar num blefe desse, não podemos votar num falso moralista.
O candidato Magela também levantou questões do passado de Reguffe, afirmando que apesar ele se vender como um expoente na nova política, é herdeiro de uma tradicional família de políticos do Ceará.
— Reguffe tem escondido seu passado, esconde sua família, rica, de políticos tradicionais do Ceará. Quer passar a ideia de que não tem nada a ver com a velha política, mas, deveria estar aqui debatendo. Eu fui a todos os debates, ele não foi a nenhum, ele tem fugido porque tem medo da verdade. Quem tem medo da verdade não pode nos representar no Senado Federal. 
Vergonha do partido e omissão de patrimônio
Gim e Magela somente responderam perguntas sobre suas propostas quando foram questionados pelos jornalistas da TV Record e do R7 DF. Magela teve de explicar porque está omitindo a camisa vermelha do PT de sua campanha e se as denúncias de corrupção contra o partido o envergonham.
O petista garantiu que tem orgulho da estrela de sua agremiação e que sente orgulho do governo do PT.
— Acho que não ficaria bem eu vim para televisão com camisa vermelha enquanto estão todos tão alinhados. A camisa vermelha eu uso na rua, uso em casa, tenho muito orgulho do que o PT fez no nosso País.
Já o candidato Gim foi questionado sobre seu suposto patrimônio de R$ 1 bilhão e sobre como seria sua relação com governo, caso fosse eleito e a presidente Dilma também, já que ele rompeu com a base aliada.
Gim negou que seja bilionário, afirmou que seu patrimônio está devidamente declarado e disse não se preocupar com quem será o presidente porque tem muito conhecimento do Senado para conseguir verbas para o Distrito Federal, independentemente do governo.
— Queria que fosse verdade [o patrimônio de R$ 1 bilhão]. O que eu tenho de patrimônio está declarado. Tudo na minha vida eu tive que provar. O que eu acho muito bacana, porque  a cidade toda sabe quem eu sou e de onde eu vim.
Apesar de dizer não estar preocupado com as eleições presidenciais, Gim deixou claro seu apoio ao candidato do PSDB, Aécio Neves.
Fonte: Portal R7, em Brasília. Por CAROLINA MARTINS - 28/09/2014
Leia Mais....

Do Alto da Torre Eduardo Brito (27/09)

sábado, 27 de setembro de 2014
Uma exceção nas alianças com o PMDB

Enquanto o PMDB coleciona atritos com o PT a nível federal, sendo mais recente o caso do Maranhão, a aliança entre os dois partidos entrou em fase de tranquilidade no Distrito Federal. O vice-governador Tadeu Filippelli (foto) subiu ao palanque de Lula em Ceilândia, fez elogios ao governo de que participa e defendeu a reprodução, na capital, da aliança entre os dois partidos na sucessão presidencial. 

Confrontos nos estados

Enquanto isso, no resto do País os atritos se acentuam. Até o presidente nacional do PMDB, o vice Michel Temer, deixou de lado sua fleugma habitual para acusar a Polícia Federal de intimidação ao senador Lobão Filho, seu candidato no Maranhão. O problema maior, na verdade, tem escala nacional. Os dois partidos se confrontam em 18 das 27 unidades da Federação e mesmo na maioria das demais — casos do Pará ou de Alagoas — as relações são tensas.  

Discórdia fora do palanque

Pintou um climão no comício de Lula,  na quinta-feira. Os candidatos a deputado enfureceram-se quando foram impedidos de subir ao palanque. As queixas aumentaram quando viram que o presidente regional do PT, Roberto Policarpo, teve a presença assegurada por conta do cargo. A revolta aumentou quando o locutor oficial anunciou a presença de dois outros presidentes de partido, os igualmente candidatos Alírio Neto e Marco Antônio Campanella. Os mais revoltados eram Érika Kokay e Rafael Barbosa, que ficaram embaixo do palanque. No final dos discursos, a entrada foi franqueada. Mas não adiantava muito. O público já se retirava e só lhes restou tirarem fotos com Lula. 

Dilma causa frustração

Houve frustração, e muita, no PT brasiliense por conta da ausência da presidente Dilma Rousseff no comício de quinta. Vá lá que Dilma se queixou de estar afônica, após a viagem a Nova York, mas muita gente no partido ficou insatisfeita. A turma acredita que Dilma poderá ao menos marcar presença. 

Amansando as feras

Pode até ter sido efeito da onda de demissões ocorridas na área de influência do PRP, que abandonou a coligação de Agnelo Queiroz, mas a verdade é que quatro outros partidos que faziam a mesma ameaça, cobrando maior apoio financeiro do comando de campanha, recuaram. Permanecerão pianinhos, após negociações que foram conduzidas pelo vice Tadeu Filippelli. Todos à expectativa da campanha de segundo turno.

Faca de dois gumes

Para um candidato a eleição majoritária, a estratégia de evitar debates é uma faca de dois gumes. De um lado, não sofre constrangimentos e impede que se utilizem imagens eventualmente negativas no horário eleitoral dos adversários. De outro lado, o candidato se expõe a críticas sem ter quem o defenda. Foi o que aconteceu com o deputado José Antônio Reguffe, que disputa o Senado. Ele evitou debate na TV Genesis. O resultado é que os competidores Gim Argello e Geraldo Magela aproveitaram o tempo para falar de nomeação de Reguffe para cargo comissionado em gabinetes de senadores, primeiro no de Sérgio Machado, tio do candidato, e depois da liderança do Governo, então ocupada por José Roberto Arruda. Hoje haverá novo debate, na TV Record.

Raiva da política

Por iniciativa da distrital Celina Leão, a Câmara Legislativa discutiu casos de baixaria na campanha brasiliense. Celina destacou em especial as acusações feitas ao deputado federal José Antônio Reguffe pela coligação do PT. Para Celina, “é por isso que a população está com tanta raiva da política: porque no jogo político vale tudo, vale colocar algumas coisas que são reais numa outra interpretação para dar um ar de ilegalidade”.  Recebeu apartes de Joe Valle, também de solidariedade a Reguffe, e de Agaciel Maia.

Faz parte do jogo

Agaciel Maia estava contrariado com sua coligação — foi dela a iniciativa de publicar um ato de nomeação de Reguffe para o Senado que era assinado pelo próprio Agaciel — mas disse que, na política, criticar é parte do jogo.  O parlamentar, disse, “quando tem uma oportunidade, faz crítica, e o Reguffe nunca foi diferente — porque ele criticava tudo. Em tudo ele colocava defeito, aqui na Casa”. 
 
Tá falado

 
"A quem está no meio político não adianta ficar chorando quando é acusado de algo, porque ninguém vai ser deputado, senador, nem candidato a governador e achar que todo mundo vai bater palma. Vão é bater. Há aquela tese de que amigo não tem defeito e em inimigo, se ele não tiver, você coloca.", Agaciel Maia, vice-presidente da Câmara Legislativa
Leia Mais....

Com identificação biométrica, eleitores podem demorar mais tempo para votar

sexta-feira, 26 de setembro de 2014
ELEIÇÕES 2014

26/09/2014 
DIVULGAÇÃO
Pelo menos 15% dos eleitores devem demorar mais tempo para escolher seus candidatos nas urnas este ano. Nas eleições que ocorrerão em dez dias, mais de 21 milhões de brasileiros usarão a biometria para se identificar.
No Distrito Federal (DF), onde todos os eleitores serão identificados pelas digitais, a expectativa é que a votação seja concluída por volta das 19h, duas horas depois do horário oficial de fechamento dos portões das seções.
O assessor de Planejamento do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Marcello Soutto Mayor, explicou que algumas medidas foram tomadas para minimizar os atrasos, como um número maior de seções. “As seções não estão abarrotadas. Elas têm limite de 400 eleitores para que não haja sobrecarga, e contamos com a abstenção, que sempre tem um percentual que gira em torno de 10% a 15%”, explicou.
Segundo ele, as estratégias apenas minimizam a perda de ritmo do processo. “Claro que não será a mesma coisa. Lógico que, quando se coloca mais um procedimento, fica mais demorado. Isso é esperado por todos nós”, admitiu.
O risco de atrasos também motivou a proibição da entrega de justificativas de votos nas seções eleitorais do DF como ocorria em anos anteriores. “As seções de votação serão somente para votação”, explicou o assessor. Em 2010, pouco mais de 100 mil eleitores justificaram o voto no DF. Este ano, as justificativas serão entregues em postos criados exclusivamente para isso. “Com essa medida, a gente pretende compensar, de certa forma, um possível atraso na votação”, completou.
A experiência de 2010, quando ocorreu o último pleito majoritário para escolha de presidente, governadores, senadores e deputados, mostrou que, pelo novo sistema, cada pessoa gasta, em média, 20 segundos a mais do que os que usam a identificação manual.
Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estimam que, com as melhorias e os testes feitos desde 2008, cada eleitor deve gastar, este ano, cerca de um minuto e 14 segundos para votar, cinco segundos a mais do que o registrado na última eleição majoritária. O tempo é uma média que considera tanto o sistema convencional como a identificação biométrica e é calculado do momento em que o eleitor se identifica perante o mesário e se dirige à urna até o instante em que confirma o último dos cinco votos - para presidente da República.
Considerando o total de 142 milhões de pessoas que devem votar, a soma desse tempo excedente pode interferir em alguns processos no dia do pleito. Apenas pelo sistema biométrico são 13 milhões de pessoas a mais do que em 2010. Ainda assim, o secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino, garante que as votações serão encerradas, normalmente, às 17h, como nos anos anteriores, respeitados os fusos horários.
“Não existe um acréscimo considerável se comparamos com o benefício que [a identificação biométrica] traz”, disse ao ressaltar a segurança garantida com a biometria, identificação feita pelas digitais de cada eleitor. “Além disso, estabelecemos um teto de eleitores por seção com o objetivo de evitar que esse pequeno acréscimo, de algo em torno de 20 segundos, venha a causar impacto na formação de filas. Diminuímos o número de eleitores em algumas seções”, explica.
Ele admite que há possibilidade de problemas na identificação das digitais de algumas pessoas, como as que trabalham em atividades que desgastam as mãos, como lavouras, ou com a manipulação de produtos químicos. “Esse tipo de cenário possibilita, no momento da identificação, o não reconhecimento do eleitor. Quando o software não consegue ler o número de minúcias na digital, o procedimento é feito na forma convencional”, destaca.
No novo sistema, são feitas oito tentativas para cada eleitor, considerando as digitais dos dedos polegares e indicadores de cada mão. Nas últimas eleições, o índice de não reconhecimento foi quase 4%. “Nossa expectativa é que índice seja mantido porque é muito aceitável”, avalia.
A porcentagem nestas eleições será calculada sobre um número maior de pessoas. Apesar de não acreditar na extensão do horário de votação, o secretário do TSE admite que a divulgação dos resultados pode sair mais tarde do que a do último pleito geral. Em 2010, a Justiça Eleitoral bateu recorde na apuração, com a conclusão por volta das 20h.
“Nosso compromisso é apresentar o resultado final no mesmo dia da eleição. Investimos muito sempre na melhoria do processo, mas nosso objetivo principal é a segurança, precisão e transparência do processo eleitoral. A velocidade é importante para a questão da segurança, mas é um requisito secundário”, afirmou Janino.
Pelo processo biométrico, no dia da votação, o mesário terá que digitar o número de inscrição no microterminal da urna e o eleitor colocará o dedo no leitor ótico. Depois que o programa faz a conferência da digital, a urna será destravada para que o eleitor vote. Se não puder ser reconhecido pelas digitais, o eleitor deverá apresentar um documento com foto e o mesário vai conferir os dados pela folha de votação.
A identificação biométrica será usada em 762 municípios, incluindo 15 capitais. Em estados como Alagoas, Amapá e Sergipe e no Distrito Federal, a revisão biométrica alcançou todo o eleitorado. Em algumas cidades, como Florianópolis (SC) e Bento Gonçalves (RS), a identificação de eleitores será mista, com a biometria e o método tradicional.
A recomendação do TSE para acelerar a votação é que o eleitor imprima o documento disponibilizado no site do órgão para anotar o número de seus candidatos e leve a “cola” para a urna. Para as eleições de 2018, a meta é que todos os eleitores sejam identificados pela biometria.
Agência Brasil
Leia Mais....

Ibope: Rollemberg tem 31%, Frejat, 21%, e Agnelo, 19%

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Instituto ouviu 1.610 pessoas no DF entre os dias 21 e 23 de setembro. Margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (24) aponta o candidato Rodrigo Rollemberg (PSB) com 31% das intenções de voto para governador do Distrito Federal. Em segundo lugar está Jofran Frejat (PR), com 21%, empatado tecnicamente com Agnelo Queiroz (PT), que tem 19%. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Em seguida aparecem empatados os candidatos Luiz Pitiman (PSDB) e Toninho do PSOL (PSOL), com 3%. Perci Marrara (PCO) teve 0%...

Confira abaixo os números do Ibope, segundo a pesquisa estimulada, em que os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor (os candidatos que aparecem com 0% são os que tiveram menos de 1% das menções cada um):
- Rodrigo Rollemberg (PSB): 31%
- Jofran Frejat (PR): 21%
- Agnelo Queiroz (PT): 19%
- Luiz Pitiman (PSDB): 3%
- Toninho do PSOL (PSOL): 3%
- Perci Marrara (PCO): 0%
- Branco/nulo: 9%
- Não sabe/não respondeu: 14%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo. Foram ouvidos 1.610 eleitores em todo o Distrito Federal entre os dias 21 e 23 de setembro. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o número DF-00057/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-0767/2014.

Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:
- Rollemberg: 25%
- Frejat: 17%
- Agnelo: 16%
- Pitiman: 3%
- Toninho: 2%
- Outros: 1%
- Branco/Nulo: 13%
- Não sabe: 24%

Segundo turno
O levantamento também abordou três cenários de um eventual segundo turno:
- Frejat: 43%
- Agnelo: 27%
- Branco/Nulo: 15%
- Não sabe: 16%
- Rollemberg: 47%
- Frejat: 25%
- Branco/Nulo: 13%
- Não sabe: 16%

- Rollemberg: 52%
- Agnelo: 20%
- Branco/Nulo: 13%
- Não sabe: 15%
Rejeição
A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Agnelo Queiroz tem a maior rejeição, e Rollemberg, a menor:

- Agnelo Queiroz (PT): 44%
- Jofran Frejat (PR): 16%
- Luiz Pitiman (PSDB): 10%
- Toninho do PSOL (PSOL): 9%
- Perci Marrara (PCO): 8%
- Rodrigo Rollemberg (PSB): 5%
- Poderia votar em todos: 6%
- Não sabe/não respondeu: 17%

Avaliação do governo
A pesquisa Ibope também perguntou aos eleitores como eles avaliam a administração do governador Agnelo Queiroz. Para 4%, o governo é “ótimo”; 14% o consideram “bom”; 32%, regular; 18%, “ruim”; e 29%, “péssimo”. Não sabem ou não responderam somaram 3%.
O Ibope perguntou se o eleitor aprova o governo. De acordo com o levantamento, 27% aprovam e 64% desaprovam. Outros 9% não sabem ou não responderam.
O instituto também perguntou se o eleitor confia ou não no governo. Dos entrevistados, 22% disseram que confiam; 69% responderam que não confiam. Outros 9% não sabem ou não quiseram responder.
Fonte: Portal G1 DF - 
Leia Mais....

AJUDA : Ação no Gama tenta acolher pessoas em situação de rua


Quem aceita sair dessa condição é encaminhado para uma casa de apoio, dentro do projeto Cidade Acolhedora
24/09
SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO DO DF
A Administração Regional do Gama, em parceria com a Polícia Militar, promoveu uma ação na tentativa de resgatar a cidadania de pessoas em situação de rua, no Parque Urbano do Setor Norte do Gama. No local, foram encontradas várias garrafas de cachaça, entulhos, alimentos estragados e cachorros. Agora, cabe ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) dar continuidade ao serviço. 
  “Nossa missão aqui é tentar resgatar essas pessoas. Nós oferecemos cursos, abrigo e orientações para que eles saiam dessa situação de vulnerabilidade social”, disse o assistente social Elso Alquimin, da Gerência de Serviço Social da administração regional. O objetivo é reintegrar as pessoas na sociedade. Contudo, segundo ele, é necessário um projeto maior. “Muitos são viciados e preferem continuar morando na rua”, explicou. 
  OUTRAS INTERVENÇÕES - A primeira intervenção no local ocorreu em 14 de julho deste ano, após reclamações dos feirantes do Shopping Popular, que alegavam sofrer constantes furtos.
 Na ocasião, foram encontrados alimentos sobre uma caixa de esgoto, ferro-velho e colchões, entre outros objetos. No dia 11 de agosto, a Administração do Gama esteve pela segunda vez no lugar.  As pessoas foram aconselhadas e encaminhadas para a Casa de Apoio Santo André. No entanto, alguns retornaram às ruas. 
 CIDADE ACOLHEDORA – A Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) pretende pregar o conceito de Cidade Acolhedora para difundi-lo com base na ampliação do Serviço de Abordagem Social. No Gama, o serviço é feito pela Casa de Apoio Santo André, em convênio com o GDF, e garante apoio, orientação e acompanhamento a famílias e indivíduos em situação de rua em todo o DF.

Secretaria de Comunicação do DF
Leia Mais....

Ibope: em um 2º turno, Marina e Dilma empatam com 41%

quarta-feira, 24 de setembro de 2014



Pesquisa Ibope/Estadão/TVGlobo mostra um empate numérico entre as candidatas Marina Silva (PSB) e Dilma Rousseff (PT) numa eventual disputa em segundo turno. Ambas aparecem com 41% das intenções de voto. Brancos e nulos são 12% e indecisos, 6%. Nas pesquisas anteriores, a diferença a favor de Marina foi de 9 pontos para 7 pontos, depois para 1 ponto e estava em 3 pontos porcentuais na última semana.
No cenário em que o adversário de Dilma é o candidato do PSDB, Aécio Neves, a diferença da petista sobre o tucano subiu de 7 pontos para 11 pontos porcentuais da última pesquisa para cá. Agora Dilma tem 46% contra 35% de Aécio. Brancos e nulos são 13% e indecisos, 7%.
Numa simulação entre Marina e Aécio, a candidata do PSB teria 44% ante 31% de Aécio - a diferença caiu de 18 pontos para 13 pontos. Brancos e nulos são 16% e indecisos, 9%.
Taxa de rejeição
A pesquisa mostra que a taxa de rejeição da candidata Marina Silva (PSB) subiu de 14% para 17%. Segundo o levantamento, a taxa da candidata Dilma Rousseff (PT) oscilou de 32% para 31% e a de Aécio Neves (PSDB) se manteve em 19%.
A taxa de rejeição ao pastor Everaldo (PSC) é de 17%. A de Zé Maria (PSTU), Eymael (PSDC) e Luciana Genro (PSOL), 12%. A rejeição a Mauro Iasi (PCB) é 11% e a de Rui Costa Pimenta (PCO), 10%. Já 8% dos eleitores disseram que poderiam votar em todos os candidatos e 16% não souberam ou não responderam.
Avaliação do governo
O Ibope aponta um cenário de estabilidade na avaliação do governo Dilma Rousseff (PT). Apenas a avaliação boa ou ótima oscilou de 37% para 39%. A avaliação regular se manteve em 33% e a ruim ou péssima permaneceu em 28%. Apenas 1% não soube ou não respondeu à questão.
A avaliação boa ou ótima do governo voltou ao mesmo patamar registrado em novembro do ano passado, na melhor marca desde então. No pior momento da administração de Dilma, em junho e julho deste ano, o índice ficou em 31%.
O nível de aprovação da maneira como a presidente Dilma está governando o País se manteve praticamente estável: 49% aprovam e 46% desaprovam; 5% não souberam ou não responderam. Na pesquisa anterior, eram 48% os que aprovavam a maneira como Dilma governa, 46% os que desaprovavam e 6% os que não responderam.
A nota média atribuída ao governo oscilou de 5,5 na semana passada para 5,6 agora. No final de agosto, a média era de 5,6 e chegou a 5,8 no início de setembro.
Potencial de voto
O potencial de voto de Marina Silva (PSB) caiu de 65% para 61% da semana passada para cá. O potencial de voto soma os eleitores que dizem que votariam no candidato com certeza ou que poderiam votar nele para a Presidência da República.
No caso de Dilma Rousseff (PT), o potencial de voto oscilou de 52% para 54%, e no de Aécio Neves (PSDB), de 53% para 55%.
A pesquisa mostra que 52% dos eleitores acreditam que Dilma Rousseff (PT) será a próxima presidente do Brasil. Nos levantamentos anteriores, o porcentual havia saído de 47% para 51%.
Para 26% dos eleitores, Marina Silva (PSB) é a favorita neste pleito - na mostra anterior, eram 27%. Os que acreditam na vitória de Aécio Neves (PSDB) somam 10%, de 9% na pesquisa anterior.
O porcentual dos que não sabem ou não responderam oscilou de 12% para 11%.
A pesquisa Ibope/Estadão/TVGlobo entrevistou 3.010 eleitores entre 20 e 22 de setembro em 206 municípios de todo o País. A margem de erro máxima é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, em um nível de confiança estimado de 95%. Ou seja, se fossem feitas 100 pesquisas idênticas a esta, 95 deveriam apresentar resultados dentro da margem de erro. A pesquisa foi registrada na Justiça eleitoral com o número BR-00755/2014.
Fonte: Estadao Conteudo
Leia Mais....
 
BLOG DO PASTOR RONNE © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot