• ESSA É A NOSSA SORVETERIA -Q 22 LT 49 S OESTE-GAMA
  • O NOSSO TEMPERO CONQUISTA
  • PRAÇA 02 Setor Sul Gama DF
  • SANTA MARIA NORTE AC 319

Jerry Adriani, ídolo da geração de 1960, morre de câncer

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Foto divulgação/Facebook
Foto divulgação/Facebook

Ídolo da Jovem Guarda, o cantor Jerry Adriani, cuja música Doce Doce Amor despontou nas paradas de sucesso, vai deixar saudades, especialmente na geração dos Anos 1960. Ele faleceu neste domingo (23) depois de enfrentar um câncer. O músico estava internado no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele havia sofrido trombose nas pernas em março e feito uma bateria de exames que resultou no diagnóstico do câncer. Tinha 70 anos.

Além das músicas românticas, Jerry Adriani também ganhou fama por apresentar o programa “Excelsior a Go Go”m da TV Excelsior", na década de 1960, que contava com a participação de Luiz Aguiar. O programa era um musical com apresentações artísticas como Os Vips, Os Incríveis e Cidinha Santos. O falecimento foi confirmado ao Diario pela produção do artista. Os familiares também se pronunciaram pelo Facebook. "A família de Jerry Adriani tem o doloroso dever de comunicar aos seus amigos o seu falecimento. Agradecemos a todos pelo enorme carinho".

Na certidão de nascimento, ele se chamava Jair Alves de Souza e nasceu no dia 29 de janeiro de 1947, no Bairro de Brás, em São Paulo. Seu primeiro disco foi "Italianíssimo", no qual cantava músicas em italiano e o nome Jerry Adriani foi incorporado a sua carreira. Em 1965, ele começou a gravar músicas em português.                                                                     Fonte:diariodepernambuco.com.br
Leia Mais....

O 9º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR RECEBE NOVO COMANDO

Na manhã desta quarta-feira (19/04), o novo comandante do 9º Batalhão da PMDF, major Allenson Nascimento Lopes, realizou a primeira formatura geral de 2017 para tratar das novas diretrizes de comando.
Depois de ser apresentado à tropa junto com o subcomandante, capitão Anderayne Araújo Nobre, foi realizada uma apresentação expondo as manchas criminais e mostrando a produtividade policial do batalhão.
Na oportunidade, o sargento Célio Nicácio foi homenageado como policial militar destaque do primeiro trimestre de 2017, por ter liderado o número de flagrantes registrados.
Além do 190, a população do Gama pode ligar diretamente para o plantão do 9º Batalhão: 3190-0900.                                                                                                                          Fonte: PMDF
Leia Mais....

Câmara terá semana agitada com debates e início de votações de reformas

Projetos que alteram legislações trabalhista e previdenciária começam a ser votados. Deputados retomarão ainda debate sobre reforma política
FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS
A Câmara dos Deputados terá uma semana bastante movimentada com discussões e o início das votações das reformas propostas pelo governo ao Congresso: a trabalhista e a previdenciária. Além das duas pautas, os deputados devem concluir a votação dos destaques apresentados ao projeto que trata da recuperação fiscal dos estados superendividados, retomar a discussão da reforma política na comissão especial e também eleger os dirigentes da Comissão Mista de Orçamento para iniciar a apreciação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem.
No plenário, os trabalhos começam na segunda-feira (24), com sessão deliberativa às 15h para a discussão e votação da Medida Provisória (MP) 752/16, que cria regras para a prorrogação e a relicitação de contratos de concessão com parceria nos setores rodoviário, ferroviário e aeroportuário. A MP está trancando a pauta da Casa e, com isso, impedindo a votação de outras matérias em sessões ordinárias da Câmara.
Já a votação dos destaques que visam modificar o projeto de recuperação fiscal dos estados em situação de calamidade financeira está prevista para terça-feira (25). O texto-base foi votado na última semana, quando também foram rejeitados alguns destaques que pretendiam retirar as contrapartidas dos estados para aderirem ao programa de recuperação. No entanto, ainda há dispositivos a serem apreciados que pretendem subtrair do texto principal a exigência de privatização de estatais e a proibição de realização de novas despesas com pessoal, como contratações, reajustes e auxílios, dentre outras.
Reformas
Na terça-feira (25), começa a fase final dos debates das reformas trabalhista e previdenciária nas comissões especiais criadas para analisar o mérito das duas propostas. Depois de muitas idas e vindas, na última quarta-feira (19), o relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, que trata da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), apresentou o relatório final para ser discutido e votado na comissão e depois no plenário da Câmara. Ficou acertado entre a oposição e aliados do governo que os debates em torno do relatório serão realizados na terça (25), quarta (26) e quinta-feira (27), para que a votação do texto na comissão se inicie no dia 2 de maio.
Em fase mais adiantada de apreciação está a reforma trabalhista, que teve o regime de urgência aprovado e deverá ser votada já quarta-feira (26) em plenário. Mesmo não havendo necessidade de ser votada na comissão especial, uma vez que tramita em regime de urgência, a proposta deverá ser apreciada na terça-feira pelo colegiado. O relator Rogério Marinho (PSDB-RN) prometeu aceitar emendas ao texto que havia apresentado há duas semanas até o final da tarde de segunda-feira. Na sequência, ele deverá apresentar um novo substitutivo.
Orçamento
A Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso tem reunião marcada para quarta-feira, às 14h30, destinada à eleição do presidente e dos três vices do colegiado. Já foram feitas várias tentativas de eleição dos dirigentes da mesa diretora da CMO. No entanto, a definição não foi possível porque o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), ainda não indicou os senadores do partido que irão compor o grupo. Pelas regras da Casa, a presidência da comissão deverá ser ocupada por um senador do PMDB. Só depois da eleição é que serão escolhidos os relatores da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e do Orçamento Geral da União.
Reforma política
A comissão especial que analisa a reforma política tem reuniões marcadas para quarta e quinta-feira para continuar a discussão da proposta. A ideia é debater e votar o relatório do deputado Vicente Candido (PT-SP) que prevê a apresentação de um projeto de resolução para disciplinar a tramitação dos projetos de lei de iniciativa popular na Câmara. Outros relatórios apresentados pelo relator ainda estão sem data para apreciação. Eles tratam da unificação dos prazos de desincompatibilização eleitoral, registro de candidaturas, convenções partidárias e medidas para reduzir o custo das campanhas eleitorais.
Agência Brasil
Leia Mais....

Confiança na economia voltou, diz Temer


Valter Campanato/ Agência Brasil
O presidente Michel Temer afirmou hoje (22), em artigo publicado no jornal espanhol El País, que a confiança na economia brasileira voltou. Ele pediu ainda que os empresários espanhóis aproveitem oportunidades de investimento no Brasil.
O artigo foi publicado às vésperas da visita do primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, ao Brasil. Rajoy estará em Brasília na segunda-feira (24) “A confiança [na economia] voltou. Queremos, como em outras ocasiões, que a Espanha se una ao Brasil nesse momento de recuperação e aproveite as muitas oportunidades que se apresentam”, escreveu Temer.
Temer destacou a grande presença de investidores espanhóis no Brasil e afirmou que a visita de Rajoy ajudará a estreitar as relações entre os dois países.“Este é o momento de renovar essa colaboração. É o que faremos na próxima segunda-feira.O primeiro-ministro Rajoy irá encontrar um Brasil em transformação. Um Brasil que enfrenta seus desafios com seriedade e com energia”, acrescentou o presidente.
Durante a visita de Estado também estão previstos encontros com empresários espanhóis, nos quais o governo apresentará oportunidades de investimento no Brasil. Segundo informações do Blog do Planalto, em 2016 o fluxo de comércio do Brasil com a Espanha somou US$ 5,2 bilhões.
Reformular o país
Já em entrevista a agência EFE, Temer disse que quer ser lembrado como “alguém que reformulou o país” após a crise e “permitiu que os novos governos encontrem um país mais tranquilizado”.
O presidente disse ainda que seu principal objetivo é tirar a economia brasileira do grave quadro de recessão em que se encontra há dois anos, com medidas que exigem “duras”, “profundas” e impopulares reformas. Fonte: Jornal de Brasília
Leia Mais....

Motorista que atropelou ciclista no Lago Norte estava acoolizada

Myke Sena/Jornal de Brasília
Um ciclista morreu ao ser atropelado por um carro, por volta das 10h deste domingo (23), na QI 7 do Lago Norte. A motorista do veículo, um GM Onix, estava alcoolizada. O resultado do teste de bafômetro foi de 0,85 miligrama de álcool por litro de ar expelido dos pulmões, segundo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER).
Edson Antonelli, de 61 anos, morava na mesma quadra onde o acidente ocorreu. Ele não portava documentos pessoais. O DER conseguiu contato com a família e informou que o homem havia sofrido um acidente. Em seguida, o filho de Edson chegou ao local. Ao avistar o corpo no chão e toda a cena após o acidente, entrou em desespero.
O corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML) por volta das 14h. Segundo testemunhas, a vítima estaria na ciclovia no momento do acidente, quando foi atropelado, arrastado e jogado para o meio-fio. Os pertences dele ficaram jogados no acostamento.
O atendimento foi realizado por socorristas do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atestaram o óbito após cerca de trinta minutos de procedimentos.
Condutora entrou em crise nervosa
Bastante abalada, a motorista do GM Onix precisou de atendimento. Em seguida, ela foi detida e encaminhada à 6ª Delegacia de Polícia, no Paranoá. Ela vai ser indiciada por homicídio doloso, quando há intenção de matar. Quando o resultado do bafômetro é partir de 0,3 mg/litro, o motorista já responde administrativamente e também é processado criminalmente.
Uma faixa da via precisou ser interditada. O local ficou sob a supervisão da Polícia Militar e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). A perícia da Polícia Civil vai determinar as circunstâncias do acidente. (Com informações de João Paulo Mariano)
Assista: Fonte:Jornal de Brasília
Leia Mais....

‘Lula Quase Destruiu O Brasil’, Diz Doria Em Entrevista Ao Correio

domingo, 23 de abril de 2017

Sem confirmar a candidatura ao Planalto no ano que vem, o prefeito de São Paulo afirma que será sempre oposição ao petista

Mantidas as condições atuais, em que os principais nomes do PSDB se encontram com algo a explicar perante o eleitorado, resta ao partido apostar na projeção da sua maior novidade, o prefeito de São Paulo, João Dória. E ele, por sua vez, encontra-se à vontade nesse papel, haja vista a disposição de participar em qualquer evento onde possa passar o seu recado a um público distante do paulistano. Na última semana, por exemplo, fez isso no V Seminário Luso-Brasileiro de Direito, comandado pelo Instituto de Direito Público (IDP), do ministro Gilmar Mendes, e pelo professor Carlos Blanco, da Faculdade de Direito de Lisboa. O tema do seminário era Constituição e governança nos seus mais diversos aspectos.
A palestra de Dória deveria versar sobre governança em saúde. Ele citou os programas que empreende nesse setor, mas não deixou de inserir pílulas de críticas ao PT e avisos de que não concorrerá a mais um mandato de prefeito. Para completar, deixou a muitos a sensação de que começa a construir um discurso para fazer quatro anos em dois. “Acordo cedo, durmo tarde, trabalho muito. É possível fazer oito anos em quatro”, disse na palestra. Para muitos, está dada a senha para dizer mais à frente que fará quatro anos em dois.
 
A passagem por Lisboa foi meteórica, tempo de falar para a seleta plateia de advogados, juristas e alunos de direito da universidade que acompanhavam o seminário, em sua maioria brasileiros. Foi aplaudido quatro vezes durante sua fala, que durou os exatos 20 minutos previstos. A caminho do aeroporto, concedeu entrevista exclusiva ao Correio Braziliense, quando defendeu o financiamento empresarial de campanha e se mostrou disposto a percorrer o país, no próximo ano, para evitar que Lula volte à presidência. “É inadmissível que um homem que quase destruiu a Nação queira vir agora ser candidato sob a alegação de salvar o Brasil. Salvar o quê?”, questiona ele. Para quem diz que não é candidato a presidente, nem político, o prefeito de São Paulo parece seguir no caminho inverso.
O senhor disse que não pretende ser candidato a presidente da República. Mas, reza a lenda, candidatura presidencial não depende apenas de vontade pessoal. Se o partido disser que o nome é o senhor, como fazer?
O partido ainda não disse, então, não posso me manifestar sobre algo que não ocorreu. 2018 está distante ainda, a minha responsabilidade é ser administrador, gestor, fazer aquilo que devo fazer. Fui eleito prefeito da cidade de São Paulo, temos muitos problemas, muitas tarefas a serem cumpridas e muitas respostas a oferecer à população. É o que eu tenho feito. Trabalhado duramente. E fico feliz de ter uma boa avaliação evidentemente nesses primeiros 110 dias como prefeito da maior cidade brasileira, mas a maior contribuição que posso dar à democracia do meu país é continuar sendo um bom prefeito, trabalhar cada vez mais, com mais eficiência, mais transparência.
O senhor também disse que, se pudesse influenciar no Congresso, reduziria os impostos na área de medicamentos. Há quem diga que foi um ato falho de candidato a presidente da República, não é?
(Risos… ) Não, é um ato consciente, de um prefeito. Diante das doações que conseguimos de medicamentos, de laboratórios brasileiros e multinacionais, me vi diante de uma questão, 19% de imposto. Diante de uma doação obtida de R$ 126 milhões, como eu posso imaginar que esses laboratórios têm que pagar mais de R$ 20 milhões de imposto sobre medicamentos que estão doando para a população pobre e necessitada da cidade? Evidente que é um critério injusto. Não é correto que se cobre imposto sobre doação de medicamentos. E, a meu ver também, 19% sobre medicamentos é um acumulativo de impostos muito elevado. Medicamento é um bem necessário, ninguém toma medicamento pelo prazer de tomar. Toma porque precisa tomar. Entendo que a redução gradual sobre impostos aplicados a medicamentos devesse ser algo a ser estudado pelo Congresso e pelo governo.
Entrando na questão da Lava-Jato, vários personagens do PSDB foram citados na delação da Odebrecht e responderão a processo. Como o senhor avalia essas citações?
Citação não é condenação. Todos aqueles que citados foram devem ser investigados e ter direito à plena e ampla defesa. Essa é a forma correta, seja qual for o partido, a posição, o cargo, a idade ou o sexo. Deve responder e deve ter direito à ampla dessa. E aqueles que tiverem por circunstância a condenação da Justiça devem cumprir. A Justiça é feita para todos, não para alguns.
O governador Geraldo Alckmin, que o senhor já anunciou como seu candidato a presidente da República, também está citado. Se não der tempo de o julgamento ser concluído antes da eleição, o senhor acha que ele deve concorrer, ainda que seja com essa espada sobre a cabeça?
O governador Geraldo Alckmin é um homem de bem. Antes de tudo, correto, descente, com uma bonita trajetória construída em sua carreira política e também como cidadão. Eu o conheço há 37 anos. Nunca vi um gesto, uma atitude, uma manifestação, uma palavra que pudesse desaboná-lo. Continuo tendo plena confiança no seu histórico como político, como homem público. Continua sendo o meu candidato à Presidência da República e espero que ele tenha toda a oportunidade de formular a sua defesa e provar a plena inocência.
Tucanos já disseram em Brasília que, no caso de Lula ser candidato, o senhor é o nome para concorrer com ele, porque tem feito um enfrentamento direto desde já. Nesse caso, o senhor abriria aí uma exceção nesse “não sou candidato”?
Muito bem formulada a sua pergunta. Muito habilidosa também. Mas não sou candidato. Sou prefeito. Além disso, como cidadão brasileiro, serei sempre opositor ao ex-presidente Lula. O ex-presidente Lula quase destruiu o Brasil. Então, é inadmissível um homem que quase destruiu a nação, que impôs o maior assalto ao dinheiro público jamais visto na história da humanidade, que ofereceu três anos de recessão, 13 milhões de desempregados, queira agora voltar a ser candidato e disputar sob a alegação de que é o salvador do Brasil. Salvar o quê? Salvar o Brasil daquilo que ele e o seu partido, o PT, na sua maioria, indignaram a nação, a população e a imagem do Brasil? Ora, que tenha o mínimo de consciência do mal que fez e do mal que vai responder. Nesse sentido, serei mais do que tudo um cidadão, um brasileiro. E vou usar toda a força da minha voz. Mesmo não sendo candidato, como não sou, não deixarei de usar a minha voz, a minha força, a minha credibilidade para impedir que isso volte a ocorrer e esse mal retorne ao Brasil.
Mesmo se não for candidato, o senhor se dispõe a correr o país numa cruzada anti-PT ou anti-Lula?
Ao lado de quem merecer a indicação, seja pelo PSDB ou por um conjunto de partidos que possam impedir que esse mal volte a ocorrer no Brasil, eu estarei disposto a qualquer sacrifício.
E em relação ao caixa dois de campanha, um assunto que está em voga? O senhor é a favor da anistia?
Todo crime é crime. Não há crime para uns que não seja para outros. O que eu entendo é que o Tribunal Superior Eleitoral deve mudar o sistema. O sistema como está neste momento, não é bom, não é adequado, embora a intenção tenha sido boa, sobretudo na última mudança, até com ganhos qualitativos, mas não o suficiente para impedir a utilização do caixa dois em campanhas. Eu não usei como candidato a prefeito de São Paulo. Financiei a maior parte da minha própria campanha, mas entendo que isso também não é justo, não é correto. Eu pude, tinha e tenho recursos suficientes para fazê-lo. E quem não tem? Não terá direito a disputar e a concorrer ou terá que usar o caixa dois para exercer esse direito? Já manifestei inclusive isso ao ministro Gilmar Mendes, o TSE deveria estudar uma fórmula para permitir doações de empresa privadas a campanhas políticas com limites de valores e com mecanismos de controle que, hoje, graças à internet, à maior eficiência da Receita Federal, do sistema bancário e dos controles do Banco Central, é perfeitamente possível de se fazer. Até o dia em que o Brasil, em condições financeiras adequadas, o governo, o poder público, possam financiar integralmente campanhas. Hoje, é impossível você imaginar, a cada dois anos, a sangria de recursos para campanhas políticas de um país que deve para a educação, para a saúde, para a habitação popular, para o transporte, para a assistência social.
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso propôs a criação do financiamento privado mediante fundo que seria distribuído aos partidos para custear as campanhas. O senhor considera uma boa saída?
Considero nobre a sugestão, mas inviável na prática. Evidentemente que empresas e pessoas desejarão contribuir com aqueles candidatos que têm mais proximidade com seus ideais, com seus princípios e suas próprias defesas, isso é muito natural. Embora nobre, a proposta, ainda mais vindo de alguém com a grandeza do ex-presidente Ferrando Henrique, não vai funcionar. Seria melhor que isso pudesse ser revisado. Nada contra a existência de um fundo, mas ele pode ter a destinação de recursos orientada por aqueles que querem fazer as suas próprias opções. Seria o mesmo que você imaginar que teríamos contribuições pessoais, você, eu, qualquer leitor do Correio Braziliense, só que destina para um fundo e não para um candidato. Ora, você vai alijar o seu direito de fazer a opção pelo candidato ou pela candidata que você deseja ver no Legislativo ou no Executivo? Evidentemente que não.
O senhor diz que não é político, mas faz todo um discurso político e obtém sucesso. A que o senhor atribui esse sucesso, uma vez que seu discurso parece ser o mais político dos políticos. Como é que é isso?
Respondendo à primeira parte da pergunta, sendo gestor, administrador. O que fiz nesses 110 dias foi administrar a prefeitura de São Paulo sem recursos, com um rombo de R$ 7,5 bilhões e mesmo assim fiz. Realizei. Em vez de lançar a culpa sobre o meu antecessor, reclamar, chorar e dizer que, pela falta de recursos, nada podemos fazer, arregacei as mangas, montei uma boa equipe, um bom time, estabelecemos metas, princípios de trabalho, fomos buscar recursos no setor privado e, de forma eficiente, iniciamos uma gestão inovadora na cidade de São Paulo. Isso projetou nacionalmente. Ficou feliz pela projeção, pela aceitação e até pelo resultado das pesquisas, mesmo para alguém que, como eu, não é candidato, exceto a continuar sendo prefeito de São Paulo.
O senhor também mencionou que não é candidato à reeleição. Vai sugerir que acabe?
Quem tem que sugerir isso é o meu partido. Essa é a minha posição. Creio que não é a do meu partido, mas sou contra a reeleição. Sou a favor de um mandato de cinco anos sem direito à reeleição.
E o que deveria ser ser aprovado hoje?
Reforma política. Essa é a mãe de todas as reformas.
E a lista fechada?
Não sou a favor, porque ela não é representativa.                                                            Fonte: http://donnysilva.blog.br
Leia Mais....

De Olho Nas Eleições 2018, Políticos Movimentam Quatro Vias No DF (Confira Aqui O Que Ocorre Nos Bastidores)

Este Blog apurou que  já existem quatro vias políticas em construção no Distrito Federal com vistas às eleições de 2018.
O governador Rodrigo Rollemberg já escolheu seus parceiros que  já estão muito bem agasalhados no governo. São eles: PSB, PV, PDT e REDE. Aqui, o candidato ao GDF é Rollemberg, que disputará a reeleição. Para o Senado: Chico Leite.
Num segundo bloco, existe o grupo liderado pelo delegado aposentado e suplente de deputado federal, Alírio Neto, que preside o PTB-DF. Nesta via estão (mesmo que publicamente declarem não estar juntos): PMDB, PP, PR, DEM e PTB. Aqui, o candidato ao GDF é Alírio. Para o Senado, os campeões de votos,  Fraga e Jofran Frejat, que estão sendo sondados.
Na terceira via, estão conversando: PROS, PODEMOS, PRB, PSC e PHS – Aqui o candidato ao GDF é Wanderley Tavares (PRB). Para o Senado, as apostas são Rogério Rosso e Cristovam Buarque.
E na quarta via, estão o PSDB e o PSDC. Aqui, o candidato ao GDF é Izalci Lucas. Ele conversa com outros partidos e sonha com Fraga para o Senado.
E por último, os partidos que estão conversando com os demais:  SD, PEN, PTC, PRP, PTdoB, PCdoB e PT.
Pontos à serem considerados:
  • Como se vê, Rollemberg ficará isolado em 2018. Dificilmente conseguirá passar para o segundo turno das eleições, à exemplo do que ocorreu com Agnelo Queiroz (PT).
  • O senador Helio José (PMDB) é candidato ao Senado, mas como você viu acima, ele ainda não conseguiu se firmar em nenhum grupo que o abrace, mas ainda há tempo. O homem tem trabalhado muito nas ruas e nos bastidores.
  • Tadeu Filippelli, o mandatário do PMDB-DF, diante das citações de seu nome em delações na Lava Jato, caiu em desgraça e dificilmente seguirá adiante com o projeto de tentar uma candidatura ao Buriti. Suas chances acabaram, diante das graves denúncias contra ele e Agnelo.
  • Wanderley Tavares, presidente do PRB no Distrito Federal, sonha se tornar no “Dória do Cerrado”. O grande trunfo dele é o apoio da Universal e o fato de ser irmão do pastor Egmar (Assembleia de Deus do Gama), que nunca venceu disputa para distrital ou federal.
  • Alírio Neto (PTB), presidente da sigla no DF, tem a menor rejeição entre os demais postulantes ao Buriti e não tem o nome envolvido em denúncias ou processos no STF. É ficha limpa.
  • Existe um acordo nacional  entre o PSB e o PSDB que visa as eleições de 2018. Tal fato pode atrapalhar os planos do deputado federal e presidente do PSDB-DF, Izalci Lucas, que está a mil por hora de olho no Palácio do Buriti.
  • Sem votos na esquerda que o elegeu senador por um bom tempo, Cristovam Buarque vive agora angustiado, e procura ser amparado (somente agora) pelos evangélicos. Talvez vire até crente para poder se reeleger. Agora ele se apresenta aos partidos de linha evangélica, como o primeiro voto para o Senado. Segundo avaliações de analistas políticos ouvidos pelo Blog, Cristovam perde a vaga para Fraga ou Frejat nas próximas eleições.
  • Agnelo Queiroz e Geraldo Magela, ambos do PT, estão na Lava Jato e portanto, o desgaste já está feito, porque o eleitor está atento e não quer mais reeleger políticos envolvidos em denúncia de corrupção.
  • Denúncias atingiram em cheio a única representante do SOLIDARIEDADE na Câmara Legislativa do DF. Sandra Faraj (SD), que sonhava se candidatar a deputada federal,  corre o sério risco de ser cassada. O presidente do SD, deputado Augusto Carvalho, também é alvo de processos e está bastante desgastado e tem pouco voto. Até o advogado ligado ao SD, Tiago Cedraz, teve o nome envolvido na Lava Jato, além do deputado Paulinho da Força, presidente nacional do SOLIDARIEDADE.
  • No PPS do senador Cristovam Buarque, existem dois deputados distritais que se tornaram réus por corrupção: Raimundo Ribeiro e Celina Leão.
  • Em tempos de graves denúncias na Lava Jato, PMDB, PT e PP estão em baixa com o eleitor.
  • O empresário Paulo Octávio é o queridinho do setor empresarial para disputar uma vaga de deputado federal. Ele é filiado ao PP.
  • Sem partido, a empresária Eliana Pedrosa deseja voltar à CLDF.
  • Ao menos cinco donos de empresas prestadoras de serviços disputarão a CLDF para se juntarem à Robério Negreiros, Rafael Prudente e Cristiano Araújo.
  • Segundo especialistas, a renovação na Câmara Legislativa será de 80%.
  • Única representante do PT na Câmara dos Deputados, Érika Kokay corre o risco de perder a reeleição.
  • Daniel de Castro, pastor e advogado, está bem cotado para ser vice-governador na chapa de Izalci ou Alírio. Só depende dele.
  • O pastor e deputado federal Ronaldo Fonseca (PROS) sonha se tornar vice-governador ou senador, mas perdeu expressivos apoios nos últimos anos, principalmente no seguimento evangélico.
  • O Apóstolo Fadi Faraj já não pensa mais com tanto entusiasmo  disputar uma vaga ao Senado, após as denúncias que atingiram em cheio sua irmã, Sandra Faraj, que também é pastora na igreja Ministério da Fé.
  • O grupo Resgatar Brasília, que reúne aproximadamente 200 pré-candidatos a deputado distrital, é o sonho de consumo dos principais candidatos ao Buriti. O experiente Zenóbio Rocha é quem conduz o grupo, e tem conversado muito nos últimos meses.
  • O senador Antonio Reguffe (sem partido) quer distância de problemas e tem dito a interlocutores que não será candidato a nenhum cargo em 2018 e dificilmente apoiará alguém. Ele permanecerá senador até 2022. Não tem pressa.
  • Em resumo: o eleitor brasiliense está atento e a renovação na política do DF será ampla, geral e irrestrita.
Não se esqueça, nobre seguidor do blog,  que na política  tudo pode mudar de uma hora para outra. O adversário de ontem poderá ser o companheiro amanhã. As peças no xadrez político brasiliense promete fortes emoções nos próximos meses, com algumas jogadas sensacionais, outras estranhas e  bizarras.                                           Fonte:donnysilva
Leia Mais....

Projeto de Julio Cesar que obriga presença de educador físico em escolas vai à sanção

Projeto obriga a presença de professor licenciado em Educação Física no sistema de ensino do Distrito Federal, desde as séries iniciais do ensino infantil
Brasília (DF) – O Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou, nesta terça-feira (18), a obrigatoriedade da presença de professor licenciado em Educação Física no sistema de ensino do Distrito Federal. O Projeto de Lei 903/2016, de autoria do deputado distrital Julio Cesar (PRB-DF), segue agora para sanção do governador Rodrigo Rollemberg.
O republicano explica que todos os alunos da educação básica serão beneficiados com a iniciativa. “A proposta garante a disciplina na educação infantil, ensinos fundamental, médio e especial. O objetivo é assegurar que a educação física seja integrada à proposta pedagógica dos estabelecimentos de ensino”, afirma o parlamentar.
Julio Cesar aponta que somente aqueles que tiverem formação completa no curso superior de Educação Física poderão exercer a docência e orientar a prática da disciplina na rede pública do DF. “A disciplina de educação física deve ser ministrada por profissionais da área. São profissionais que estudaram, se capacitaram e especializaram para entender as necessidades e limitações de cada aluno”, disse.
O parlamentar do PRB informa, ainda, que a proposta estabelece prazo de um ano progressivamente para que a prática seja implantada no ensino infantil e nos quatro primeiros anos do ensino fundamental. “Estamos num momento de grande informatização onde crianças e adolescentes estão cada vez mais expostos aos dispositivos eletrônicos. É louvável atrelar o ensino a instrumentos eletrônicos como forma de otimizar o aprendizado. No entanto, isso também pode trazer consequências. Um exemplo disso é que as crianças e adolescentes estão cada vez mais sedentários. Isso é questão de saúde pública, pois o sedentarismo traz consigo vários problemas de saúde. A melhor coisa para mudar esse cenário é trabalhar com a prevenção”, defende o parlamentar.                                                   Fonte:prb10.org.br
Leia Mais....
 
BLOG NOSSO GAMA © 2013 | Traduzido Por: Template Para Blogspot